O APOCALIPSE – IV – REVELATION

0

febrero 8, 2014 by Bortolato

Adoração

 

 

APOCALIPSE  (IV)

 

QUARTO CENÁRIO:

(Apocalipse 12 a 16)

 

Local do foco: na Terra

Os servos de Deus são perseguidos pelo Anticristo

Circunstâncias que levarão à batalha do Armagedom

Período: Do Arrebatamento à Volta de Cristo

 

PANORAMA DOS ACONTECIMENTOS:

 

                        Nos capítulos 12 a 16, João agora concentra o seu foco visual sobre a Terra.   Convém ressaltar que não veremos TODA a história de todos os povos e nações da Terra, mas toda a descrição irá girar em torno dos santos de Deus que ali estarão durante esse período.

                        O que estará acontecendo na Terra com relação à Igreja?

                        O arrebatamento já terá acontecido e portanto os servos de Deus mais consagrados, firmes e constantes, sofredores, que suportavam o fardo que supria as necessidades espirituais de muitos, os esteios da Igreja de Cristo já não estarão mais sobre a Terra.

                        Assim que a Igreja fiel, cheia do Espírito Santo for removida daqui (Mateus cap.25), a Igreja que aqui ficar, certamente se sentirá de imediato preocupada, arrependida de não ter sido mais fiel e vigilante, e passará a sentir o peso da opressão das forças do mal agindo sobre a Terra como nunca antes.    Alguns pastores que também vacilaram espiritualmente em suas vidas ficarão e serão acusados por suas ovelhas, membros de sua comunidade, de terem sido néscios, tardios e lerdos na carreira espiritual.   Haverá um grande tumulto em todas as Igrejas, que, por conhecerem o teor das profecias do tempo do fim, perceberão que algo terrível está por vir.

                        O tumulto, na verdade, não acontecerá somente no seio das igrejas.  Situações incrivelmente sinistras e repentinas acontecerão.   Vejamos algumas delas:

  1. Motoristas, pilotos de aviões, capitães de navios, barcos, tripulação de submarinos, controladores de vôos, de tráfego aéreo, de trânsito nas ruas, rodovias e ferrovias, além de outros lugares de perigo, tais como operadores de controle de reservatórios de água, combustíveis, explosivos, material radiativo, etc., todos terão alguém desaparecido do quadro de funcionários, ocasionando acidentes, faltas graves, um espanto geral seguido de grandes problemas causados em pequena e em larga escala.
  2. Crianças desaparecerão de suas casas, das creches, das escolas, das casas de seus amiguinhos, tanto quando em atividade, como quando brincando ou dormindo.
  3. Médicos e seus pacientes: alguns médicos irão desaparecer, estando a operar na mesa de cirurgia, enquanto outros pacientes irão desaparecer da mesa de cirurgia.
  4. Tais desaparecimentos irão ser relatados à polícia, mas em vão.   Não irão mais achar as pessoas desaparecidas.
  5. Um diretor de um renomado jornal americano já deixou pronto uma manchete, escrita com letras garrafais em seu título.    O título da matéria é muito “sui-genneris”: JESUS CRISTO VEIO BUSCAR A SUA IGREJA!     Esta notícia será divulgada, se os seus subordinados se lembrarem que deverão soltá-la quando o seu diretor, e mais algumas outras pessoas conhecidas como crentes em Cristo também desaparecerem. (Lucas 17:14-36).
  6. Embora prevaleça o mistério em torno do Arrebatamento, muitos que nem são cristãos irão perceber que tudo girou em torno de algumas pessoas da Igreja de Cristo.   Crêem alguns que até mesmo desejarão imputar a culpa pelos desaparecimentos de pessoas sobre os crentes que ficarem neste mundo.
  7. Outros, religiosos e místicos de outras religiões, quererão dizer que o que aconteceu foi que o povo composto por aquela “gentinha” de cristãos tidos por retrógrados, “quadrados”, ou mesmo fanáticos foi removido daqui por força de extraterrestres que, de cima do espaço, “teriam escolhido a dedo” aquele pessoal que poderia ser um empecilho, um embaraço ao “grande avanço” do “espiritual” (ocultismo, feitiçarias, bruxarias, e coisas afins), e que então o mundo verá o que é desenvolvimento e o que é “evoluir”.   Quem não sabe como explicar o mistério, certamente que tentará faze-lo por milhares de palavras, mas sem fundamentação sólida.   O fato é que todos sentirão que a Igreja de Cristo, em parte, desapareceu – e isto será mais um fator, um motivo para que o mundo fique mais intrigado e mais enojado do povo de Deus, que se chama pelo nome de Cristo.

 

De quem será composta a Igreja que ficar na Terra para o período de Tribulação?

À primeira impressão, pensaremos que só ficaram os crentes “carnais”.   Os espirituais já terão subido.

Muito embora os crentes de então tenham vacilado na perseverança e na fé, talvez muitos tenham sido infantis, sem maturidade, com muitos defeitos, a rigor não se pode dizer que estes não entrarão no reino dos céus.

Eles apenas entrarão em um período de longa batalha espiritual, na qual terão que pagar um alto preço, mas no final, se forem perseverantes na fé, sairão vencedores.

Os 144.000 judeus comporão parte desse rol do povo de Deus.   Serão servos de Cristo.   Serão os pregadores do Evangelho do Reino (um pouco diferente do evangelho da Graça), e serão muito usados por Deus para levantar um povo santo para o Senhor.

 

 

A MULHER (ISRAEL):

 

                        “… que, achando-se grávida, grita com dores de parto, sofrendo tormentos para dar à luz… e eis um dragão, grande, vermelho, com 7 cabeças, 10 chifres, nas cabeças 7 diademas. Sua cauda arrasta a terça parte das estrelas do céu, as quais lançou para a terra: e o dragão se deteve em frente da mulher que estava para dar à luz, a fim de lhe devorar o filho quando nascesse. Nasceu-lhe, pois, um filho varão, que há de reger todas as nações, com cetro de ferro. E o seu filho foi arrebatado para Deus, até ao seu trono (Ap.12:2-5)”.

 

                        “Mulher”, nas Escrituras, quando representa uma figura de linguagem, normalmente é traduzida por uma igreja.  As 10 virgens são 10 noivas, e representam a noiva de Cristo, que é a Igreja, mas esta mulher tem outras características que nos trazem à luz coisas do Antigo Testamento.

                        No caso, como a mulher em foco traz alguns traços especiais, vamos fazer a identificação dela com outras figuras de simbolismo que há nas Escrituras do V.T.

                        Ela vem vestida do Sol.  Isto quer dizer, vestida com a deslumbrante luz do Sol – vestida com a luz de Deus, pois Deus é Quem se veste de luz.

                        Tem também a Lua debaixo de seus pés.   A Lua está associada com a noite, e, portanto, com as trevas.   Assim, a Lua passa a ser símbolo de trevas, e a mulher a pisa debaixo de seus pés.

                        Seguindo a descrição, ter a Lua debaixo dos pés significa ter vitória sobre o poder das trevas.                       

                        Tem também uma coroa de 12 estrelas.     

                        O sonho de José do Egito foi exatamente com o Sol, a Lua e 11 estrelas que se inclinavam diante dele.   Imediatamente, Jacó repreendeu a José, porque lhe ficou claro que o Sol seria o Patriarca, a Lua, sua mãe, e onze estrelas seriam os onze irmãos (Gên. 37:7-10).   A simbologia de Apocalipse aqui puxou, como que por um gancho, a do livro de Gênesis.

                        Por outro lado, já temos visto que o número 12 se reporta a santos, e isto pode ser tanto do Velho como do Novo Testamento.    Poderia, por isso, ser tanto Israel como a Igreja.   Contudo, a Igreja não foi quem deu à luz um Filho Varão, mas foi gerada pelo Filho de Deus, Jesus, autor e consumador da nossa fé, a Pedra de esquina, o fundamento da Igreja.

                        Por todas estas coisas que temos visto, concluímos que a mulher vestida do Sol é a nação de Israel.   Mas ainda resta outra figura de linguagem a ser desvendada.

                        Quem seria o filho varão desta mulher?

                        Diriam alguns intérpretes da Bíblia que o filho da nação Israelita que o diabo, o dragão, quis tragar seria a igreja, a qual então mais tarde seria arrebatada.

                        Com efeito, Jesus não foi arrebatado, mas subiu lentamente, deliberada e vitoriosamente, depois de ainda ter permanecido na terra por vários dias, de modo que Ele, muito embora tenha morrido pelas mãos de poderes controlados pelo diabo, Ele não teve que subir ao céu para fugir do diabo. 

Querem alguns que o filho varão da mulher seja a igreja arrebatada, pois esta, sim, terá sido assim, tirada da Terra como que “num abrir e fechar de olhos”, e assim, a igreja é que teria sido o alvo da ira de Satanás.   Uma dificuldade de se pensar assim é entender-se como que a igreja “há de reger todas as nações com cetro (vara) de ferro”, mas se vermos Apoc. 2:26-27 esta é uma promessa ao que vencer:

Ao que vencer, e ao que guardar até o fim as minhas obras, eu lhe darei autoridade sobre as nações, e com cetro de ferro as regerá, e as reduzirá a pedaços, como se fossem objetos de barro”.

                        Na verdade, a Igreja hoje representa a Cristo na Terra, pois que ela não somente é a Sua noiva, mas também o Seu corpo vivo, isto é, ela deveria, ao menos, fazer as obras que Cristo quer operar neste mundo, e, se Satanás odeia a Cristo, certamente que odeia a todos os seus discípulos também.

                        Por este motivo, então, cremos que o Filho varão, no caso, é o Senhor Jesus, mas aqui representado pela sua Igreja fiel, da qual Ele é a Cabeça (Efésios 5:23).  Ora, se Cristo é a cabeça da Igreja, logo, esta é o Seu corpo aqui nesta Terra.   O dragão odeia a ambos, e gostaria muito de tragar a ambos – graças a Deus que esta sua pretensão será baldada.       Cristo, pois, aqui nesta Terra, se identifica com a sua Igreja, e a sua Igreja fiel com Ele.    Atacar à Igreja, é atacar a Cristo, como Ele mesmo falou a Paulo:  – “ Saulo, Saulo, por que me persegues?” (Atos  9)

                        As dores de parto são muito bem explicadas pelos sofrimentos que o povo judeu teve que passar pela sua fé no Deus Vivo, pelo seu desejo de continuar sendo uma nação, apesar de todos os seus perseguidores.   O cativeiro babilônico, medo-persa, o grego, o romano, o holocausto da II Grande Guerra são mostras significativas do que o povo judeu sofreu por causa de ter sido escolhido pelo Senhor e não ter permanecido fiel em todo o tempo.

                       

O DRAGÃO:

 

                        Então João viu um dragão vermelho, de 7 cabeças e 10 chifres.

                        Sem sombra de dúvida, esse dragão representa aqui a Satanás, em todo o seu poder, através de todas as eras, na Terra.

                        Ele tem 7 cabeças.   Sete é o número de algo completo.  Daniel viu 4 dessas cabeças, em suas visões de Deus, que são os impérios da Babilônia, da Pérsia, da Grécia, e de Roma, mas houve mais dois antes de Daniel: Assíria e Egito.    Quando vier o reino do Anticristo, se completará o número dos 7 grandes impérios dominados pelo diabo nesta Terra.                                                                                                                                                                                                                                  

                        Já os chifres são 10, e serão colocados na sétima cabeça.   Serão as nações que formarão a base política do Anticristo, e esta base está localizada na mesma área que pertenceu ao antigo Império Romano.   Devido à saga do inimigo, ele tentará expandir para um campo bem maior que o que já teve em mãos no passado, mas esta será uma luta que ele quererá travar com Deus, ansioso por suplantar e superar ao que Se assenta no Grande Trono do Céu.

                        A luta de Lúcifer contra Deus já começou no céu, quando ele ambicionou se apoderar do Grande Trono, e foi derrotado, expulso dali no final do embate entre seus anjos e os anjos do Todo-Poderoso, que na ocasião foram coordenados por Miguel Arcanjo (anjo do Princípio).   O trecho de Apocalipse 12 fala em linguagem figurada que, com sua cauda, o dragão derrubou do céu a terça parte das estrelas.

                        Aqui cabe um maior detalhamento.

                        Enquanto alguns dizem que esta batalha ainda se dará, cremos que hoje o antigo Lúcifer já foi expulso do céu.   Referimo-nos à santa morada de Deus (O céu físico, de cor azul celeste, é assim colorido por causa do ar, e neste, Lúcifer ainda reina, conf. Efésios 6:12) Ele não tem mais acesso ao Tabernáculo celeste.   Ele já não habita mais nos Altos céus, pois sua habitação agora é nas fortalezas do Inferno.   Esta batalha que o excluiu do acesso à presença do Todo-Poderoso já aconteceu.    Se isto não tivesse já acontecido, não haveria mais paz nem no céu, nem clima de adoração.    Hoje temos adorado a Deus aqui nesta terra, mas sabemos que o nosso inimigo está aqui, em algum lugar do planeta, sediado em sua fortaleza em algum lugar restrito, e seus emissários estão por toda parte nesta Terra.   O próprio Senhor Jesus disse certa vez:

Eu vi Satanás caindo do céu como um relâmpago” (Lucas 10:18).

                        A Terra passou a ser o seu reduto, pois que era aqui mesmo que lhe era destinada à missão de protege-la.   Ele conhece este planeta como a palma de sua mão, pois que já andou aqui por muito tempo, e aqui foi que ele achou lugar para atuar, e daqui não quer sair.

                        De fato, o mais alto que os exércitos do mal podem chegar é nos ares (Efésios 2:2), e suas tropas vivem vigiando, a fim de não deixar passar ninguém da Terra para o céu – as trevas não suportariam de raiva ver a Igreja triunfante chegar vencedora no céu.   Quando muito, o maioral dos anjos decaídos pode obter permissão para falar com Deus no céu, e assim subir, para nos acusar diante do Pai (Jó 1:6 e 2:2).

Os anjos são chamados nas Escrituras de estrelas.    O nome de Satanás era Lúcifer, o sol da manhã ou a estrela matutina (Is. 14:12). 

Até hoje, quando se fala de “estrelas”, pode-se estar falando de um astro do firmamento, como de uma pessoa famosa, que chegou a brilhar no sentido de projetar-se dentro de alguma área  A astúcia, poder e capacidade de iludir e enganar que ele tem conseguiu engodar até mesmo a anjos.    Assim que ele veio a pecar, Deus não lhe subtraiu os dons que lhe havia dado anteriormente, porque os dons de Deus são dados sem arrependimento, e com isso, a batalha prossegue.   Ele continua a se auto-sugestionar, tentando afirmar para si mesmo a para os seus comandados que ele ainda é o grande, o poderoso, o maravilhoso, e que tem tanta capacidade, que poderá surpreender até mesmo a Deus!   Mas as profecias não confirmam esta tese.    Ele foi expulso do céu, veio para a Terra, e será, em breve, expulso daqui também, para sempre.

O deserto bem poderá ser qualquer lugar onde a mulher possa se refugiar.   Uma vez que o comércio estará controlado pela besta, logo a igreja e os 144.000 terão de fugir para tentar escapar ao cerco.   Não poderá comprar e nem vender, porque não possuirá o número da besta em seu corpo, e assim terá que sobreviver somente pela misericórdia de Deus.    Assim como Elias sobreviveu aos 3 anos de seca em Israel, o povo do Senhor também terá que viver durante 3 anos e meio, mesmo não tendo aonde buscar ou adquirir víveres.    A igreja que vence ao inimigo nesta Terra possui uma característica que anjos não têm.   Ela vence-o em seu próprio terreno de atuação, ou melhor, no lugar onde ele armou milhares de emboscadas para tentar, iludir, mentir, enganar, solapar, destruir, da maneira que ele gosta de atuar.   A Igreja vitoriosa é um troféu de Deus, pois Ele a ostenta diante de Seus inimigos, mostrando através dela a Sua vitória – isso deixa o inimigo mais furioso ainda e inflamado de inveja.

Quando Satanás perceber que o Arrebatamento já aconteceu, ficará muito irado e partirá para perseguir a Igreja remanescente, mas Deus atuará de tal forma que frustrará por muitas maneiras e muitas vezes os planos assassinos do nosso perseguidor.   O fato de a Terra abrir-se e engolir o rio que Satanás terá feito jorrar de sua boca, não terá sido um milagre na acepção da palavra, mas a natureza é que ajudará à igreja, de forma a dar-lhe algum escape.

“… irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus, e se pôs em pé sobre a areia do mar” (Apoc. 12:17).

 

 

A BESTA QUE EMERGIU DO MAR:

 

 

                        Nos dias de Tiro, já havia um certo rei que se deixou dominar por Satanás para realizar todos os seus caprichos.   Tanta foi a relação de dependência, que o Senhor manda que Ezequiel profetize ao rei de Tiro (Ezequiel 28:12-19).

                        Ora, depois de haver uma sintonia fina atuando entre os verdadeiros protagonistas do mal e o rei político de Tiro, vemos que seu poder, e seu desejo de reinar foi pouco, perto daquilo que esse “rei” ainda intenta fazer neste mundo.

                        Satanás, porém, presente no mar e na terra, não se deu por satisfeito com apenas um mestre dos disfarces, um “testa de ferro”, fazendo o serviço que é do seu interesse, mas logrou obter um completo serviço de bordo e possuiu plenamente o rei de Tiro em suas ações.  Assim foi, pois, que o verdadeiro rei daquela localidade, Tiro, ao que tudo indica, é Satanás.(Apoc. 13:1 – ss.).   Assim também será com o Anticristo – o seu governo não é seu, mas sim, de seu grande chefe, maioral dos demônios.  

                        Quando Satanás foi expulso do céu, e se arrojou sobre a Terra, ele teve que passar a conviver com um problema: ele é um espírito, tendo que viver num planeta material.

                        Cansado de ser limitado, Satanás perceberá que o Espírito Santo já não atuará mais como tinha atuado na Era da Igreja que foi arrebatada, e quererá tirar o máximo proveito disso.    O Espírito do Senhor continuará operando na Terra, sim, pois quem O poderá impedir?  – mas atuará de outra forma, usando de outra ênfase, outra estratégia.    A batalha continua, ela ainda não teve o desfecho final.

                        Desta vez a coisa vai ser mais séria, uma batalha acirrada, disputada palmo a palmo.

                        Para transpor a barreira que há entre o mundo espiritual e o material, Satanás almejará apossar-se do corpo de um homem, e este homem será o maior investimento que o reino das trevas fará com um ser humano neste mundo.

 

AS CIRCUNSTÂNCIAS DO MUNDO:

 

                        Poderes políticos estarão necessitando de alguém que traga tempos de união, de prosperidade, de transposição de barreiras comerciais, de solução de problemas sociais, e só conseguirá obter tal cargo de confiança, esse alguém que demonstre ser algum tipo de “super-homem”.   Já ouvimos falar de Napoleão, e de Hitler, que tentaram conquistar o seu mundo de sua época, mas falharam, nada mais conseguindo senão levantar uma superguerra, contra tudo e contra todos.    Por diversos fatores contrários não o lograram, mas agora o mundo será outro: todos os povos se sentirão impelidos por uma necessidade muito forte de se unirem a outros.   As nações hoje já querem se unir, para formar blocos fortes, capazes de fazer frente ou resistir a outros possíveis inimigos.    O comércio internacional parece ser uma solução para tempos de escassez de mantimentos, e para isto, vemos que os acordos entre países estão sempre jogando com interesses, com troca de favores, isto por aquilo, quid pro quo.   Quando há comunhão de interesses, essa união se fortalece e se consolida.  Prova disso é a atual existência do Mercado Comum Europeu.

                        Esse tempo criará o ambiente favorável para o surgimento da Besta que subiu do mar, que nada mais é senão o próprio Anticristo, um homem possuído completamente por Satanás.  Note-se que, tal como o dragão possuía sete cabeças e 10 chifres, assim também é descrita a Besta.

                        Os chifres da Besta são as nações que comporão o bloco de países que se unirão para dar o poder ao seu governante maior.   Notar que a Besta emergiu do mar, e as águas do mar são, na verdade, símbolo de muitos povos e nações desta Terra.

                        Tendo sete cabeças, acontecerá alguma coisa muito notável com esta.   Cabeças são as caixas cranianas que embalam e envolvem o Sistema Nervoso Central de alguém, homem ou animal.   Cabeças são também a sede dos pensamentos, onde se desenvolvem os impulsos elétricos e as reações químicas que propiciam e determinam todas as ações de um corpo.    Uma pessoa que governa um povo também é chamada de cabeça da nação.    Apocalipse 13:3 nos diz que “uma de suas cabeças como golpeada de morte” teve sua chaga mortal curada, “e toda a terra se maravilhou, seguindo a Besta”.

                        Certamente que acontecerá algo terrível com este homem, talvez até mesmo chegue às portas da morte, mas numa “virada espetacular” consegue sobrepujar a crise, e voltar à vida normal, de modo a maravilhar o mundo com isto.   Poderá haver uma simulada “ressuscitação” deste personagem do futuro, mas tratar-se-á de um falso milagre. É bastante provável que esta cura maravilhosa venha a produzir a idéia de que esse homem tem poder de vencer a morte, e assim se apregoar que o mistério da ressurreição já tem o seu caminho desvendado (fazendo deste modo uma réplica à ressurreição de Cristo, uma imitação falsa para enganar os seus seguidores).    

                        De qualquer maneira, Satanás, o dragão, dará á Besta todo o seu poder, o seu trono e uma grande autoridade, e, em troca, exigirá adoração.   A mesma proposta que ele fez a Jesus no monte da Tentação (“tudo isso te darei, se, prostrado, me adorares”- Mateus 4:8-9), será o grande repto a ser oferecido a um homem, e que o Anticristo aceitará.   Mais uma prova de que Satanás deseja reinar e possuir os corpos de homens para poder manifestar a sua vontade neste mundo.

 

                        O tempo em que a Besta estará governando, é importante salientar, não será de apenas 3 anos e ½.    O profeta Daniel já nos revelou que este homem fará concerto com o povo judeu por 7 anos.   Ora, se se fará uma aliança desse tipo, isto significa que o Anticristo estará reinando já no início desse período – e para que haja condições de se firmar um concerto dessa natureza, cremos que longas negociações acontecerão antes disso, até que os judeus cheguem à enganosa conclusão de que tal homem (o da iniqüidade) seria confiável.

                        A extensão desse reino dominado por Satan terá duas dimensões: a de um poder político absoluto, sobre o qual dominará como seu supremo presidente ou 1º ministro, e a dimensão de um poder indireto, de pressionamento, influência e de atemorização sobre outras nações contemporâneas.

 

 

A BESTA QUE SURGIU DA TERRA:

 

 

                        Se terá sido um grande milagre a cura da primeira Besta, a qual tinha sido ferida à espada, e o mundo se maravilhou e creu nela, e a exaltou, isto significa que as pessoas deste mundo passam a crer em algo, quando vêem milagres.   Quantos e quantos supostos “milagres” aparecem ao público, e fazem com que verdadeiras filas e filas de adoradores façam sua romaria, venerando ao santo, ou à alma de um morto, ou mesmo a uma simples estátua com nenhuma semelhança à humana, e algumas destas nada tendo a ver com qualquer ser que tenha existido sobre a face da Terra?   Isto diz respeito ao espírito de religiosidade das pessoas.   O homem teme ao supernatural, e isto já terá sido motivo de adoração à Besta que surgiu do mar, cuja chaga mortal lhe foi curada.

                        Contudo, a primeira Besta não terá, em sua área de ação, compatibilidade e nem afinidade com uma vida religiosa, pois que suas ocupações estarão tomadas pelas atividades políticas, sociais e econômicas.    Muitos foram os reis que usaram do poder de persuasão de uma religião, para serem deificados e assim se firmarem em sua autoridade política – como foi o caso dos faraós do Egito, de alguns dos césares de Roma, os imperadores do Japão, e muitos outros da cultura oriental.

                        Para ir de encontro com as necessidades religiosas do povo, Satanás estará lançando mão de mais um outro homem, e assim estarão todos os três agindo em tríplice acordo, em comunhão de propósitos, imitando a Deus, tal e qual a Trindade Divina.

                        Porisso é que haverá uma outra Besta, e esta surgirá da Terra.

                        Esta é diferente da anterior, em sua aparência, pois que parecerá um cordeiro, e possuirá dois chifres.       Ora, esse cordeiro não é Cristo, pois que, quando falar, sua fala denotará ser inspirado por Satanás.      Como ele se parecerá com um cordeiro, entendemos que falará de paz, prosperidade, de humanismo, de coisas boas para a humanidade, mas sua filosofia, seus pontos de vista, serão alicerçados em princípios satânicos: a mentira, o engano, e a opressão contra o povo de Deus.   Esses dois chifres, por serem semelhantes aos de um carneiro, nos levam a entendemos que haverá dois grandes poderes religiosos que se unirão para dar força ao poder do Anticristo.    Certamente que esses poderes terão uma grande influência política no mundo.

                        A Besta que subiu da Terra, a nosso ver, também poderá ser identificada como o Falso Profeta.  

                        Em nome de uma super-religião, esta pessoa fará milagres para dar força ao governo da primeira Besta.   Um dos milagres será fazer uma imagem da primeira Besta falar, para todo o mundo ouvi-la.   Esta imagem poderá ser uma estátua, ou uma imagem virtual (o que, a rigor, não seria nenhum milagre, mas sim, uso do avanço da tecnologia da informática).  Cremos que uma cópia desta imagem será o “Abominável da Desolação” de que Daniel falou (Dan. 9:27 e 11:31), que será colocado “no lugar onde não deveria estar” (Mat. 24:15).  

Esta abominação será uma medida muito impopular, e muitos se recusarão a aceitar tal imposição.     Esta marca será o transbordar das medidas e a causa do rompimento da aliança entre o Anticristo e os judeus, bem na metade da última das 70 semanas de Daniel.

 

 

666 E A MARCA DA BESTA:

 

 

                        Todos os cidadãos do reinado da Besta, a fim de poderem comprar e vender algo, terão que receber uma certa marca em sua testa ou sobre a mão direita.    Certamente que isto implicará em um cadastramento de cada indivíduo do seu reino.

                        Vários têm sido os números que temos recebido em nossas vidas, que servem para nos identificar: O RG, o CPF, o Título Eleitoral, o Cartão de Crédito, Cartão Bancário, etc. Todos eles servem para nos numerar perante algum Órgão do Governo, a fim de que sejamos catalogados, e, conforme for o interesse pelo nosso comportamento da parte desses Órgãos, passamos a ter uma folha corrida, um dossiê nas mãos de agentes públicos que nem sequer conhecemos.   Esses números, por enquanto, não significam que somos catalogados pela Besta, mas quem possui algum Cartão de Crédito já possui uma ficha internacionalmente conhecida por diversos países.

                        A marca da Besta, porém, terá duas finalidades: uma, a de submeter a pessoa totalmente ao poderio do Anticristo, que, para tanto, exigirá total submissão e adoração; – e a outra, de controlar toda a movimentação de capital através do comércio, tanto local como internacional.  

Ninguém poderá comprar ou vender alguma coisa, se não se submeter e receber a tal marca.    Os “rebeldes” que não quiserem ser marcados assim, terão que arcar com uma vida peregrina e fugitiva de uma perseguição feroz – não poderão comprar nada, nem mesmo um pé de alface, e nem negociar nada, a menos que resolvam submeter-se.   Sofrerão fome, e alguns serão mortos por causa de seu protesto.   Esta submissão significará negar a Cristo, a Deus, e assumir a super-religião promovida pela segunda Besta.

Quanto ao número 666, que é o número de um homem, o número da Besta, nos é lançado o desafio, a quem tiver sabedoria, que calcule o número desse homem.

Muitas especulações têm sido lançadas sobre o nome de algumas pessoas, a fim de se calcular o seu número, mas não poderemos dar crédito a nenhuma delas, ao menos por enquanto.    Como calcular-se o número de um homem?  Primeiro, transliterando-se os nomes dessas pessoas para a língua latina, extrai-se desses nomes as letras que são também algarismos: I, V, X, L, C, D.  Se não der certo, tenta-se em outra língua: no grego, no hebraico, ou no aramaico – e assim foi que se chegou ao número 666 para Nero, César, Papa Benedito IX, Martinho Lutero, João Calvino, Hitler e Napoleão Bonaparte.  Como bem se pode perceber, tal método falhou em todos estes casos.   O fato é que o número 666 aparecerá no nome, em alguma insígnia ou no título do Anticristo – e só então é que se poderá perceber que se trata desta profecia.

 

 

 

O EVANGELHO ETERNO NA TRIBULAÇÃO:

 

 

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                          Em Apocalipse 14:1-5 lemos que os 144.000 judeus selados aprendem um cântico que lhes é dado dos céus, e cantarão aqui nesta Terra.   Estes são como que primícias de uma grande multidão de convertidos e salvos por Cristo durante o período da Grande Tribulação.  Cremos que estes já estarão selados pelo Espírito Santo de Deus, e serão fiéis testemunhas do Senhor, percorrendo o mundo, mesmo sob perseguição, para levantar um povo santo, que se negue a servir a Satanás e à Besta.

                        Devido às limitações de liberdade para ir e vir durante esse período, face às perseguições, haverá lacunas que homens não poderão preencher na tarefa de pregação do Evangelho de Cristo.   Certamente que as igrejas serão todas evacuadas, confiscadas ou destruídas, de forma que não haverá mais cultos públicos, e nem haverá mais o sustento de missionários.

                        Para que ninguém tenha a desculpa de que não foi avisado da existência do Senhor e de Seu Santo Evangelho, haverá um anjo voando pelo meio do céu, a proclamar em alta voz:

Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai Àquele que fez o céu, a Terra e o mar, e as fontes das águas” (Apoc. 14:5, 6).

                        Querem alguns crer que o “anjo” que sai voando a pregar seja apenas um mensageiro humano, e não um anjo, um ser celestial, mas não podemos crer assim, porque esse anjo é visto voando pelo meio do céu.   Um segundo motivo para não crermos que não poderia ser um simples ministro, ou um pastor, um homem, é que, para que alcançasse a todos os que são moradores da Terra, de cada nação, de cada tribo, de cada língua, como poderia faze-lo se haverá perseguição da Besta?    E mais: há tribos de silvícolas ainda hoje que não têm TV em sua tenda ou sua casa.   Como um homem poderia percorrer todas essas tribos, espalhadas que estão pela face da Terra?   

                        Na verdade, serão 3 anjos que sairão do céu, e virão à face da Terra para clamar, deixando a sua mensagem.   O segundo anjo proclamará a profecia da destruição da cidade de “Babilônia”, a sede do governo da Besta.

                        O terceiro anjo anunciará que “se alguém adora a Besta e à sua imagem, e recebe sua marca na fronte ou na sua mão, também beberá do cálice do vinho da cólera de Deus…” o que significará ser atormentado com fogo e enxofre, dia e noite, pelos séculos dos séculos, sem nenhum descanso.    Será uma advertência e tanto!    Com isto, é muito possível que haverá pessoas que não são cristãos, mas diante desse solene aviso não quererão receber a marca da Besta, e também se tornarão fugitivos na Terra.

 

 

 

A VISÃO DE CRISTO E UM ANJO COM A FOICE NA MÃO:

 

 

                        Apocalipse 14:14-21 já nos traz a informação de que, chegando ao fim o reinado do Anticristo, o próprio Senhor das nuvens estará para acionar a foice em sua mão.

Um outro anjo também com foice na mão é acionado, e começa uma ceifa de vidas sobre a Terra.  O local que é indicado como sendo fora da cidade: Jerusalém, segundo a maioria dos comentaristas, conforme Isaías 34:7, este local da batalha seria desde Edom (“… a sua terra se embriagará de sangue”), fazendo correr um rio de sangue até as proximidades do monte Carmelo, enchendo o vale de Megido, e a planície de Esdrelom.

                        Esta profecia nos dá a entender que o fato sucederá no final da última semana de Daniel, quando se dará a batalha de Armagedom.   Armagedom é um vale grande e largo, que é visto desde o monte Carmelo para o lado leste, até próximo das margens do Rio Jordão, e descendo até as proximidades de Jerusalém.   Forças da Besta desejando guerrear contra as forças do Cordeiro.   Lutarão contra o Cordeiro, mas o Cordeiro os vencerá, porque é Rei dos Reis e Senhor dos Senhores.

 

 

AS 7 ÚLTIMAS PRAGAS:

 

 

                        No capítulo 15 de Apocalipse vemos no céu uma cena, como quando um exército está preparado para a batalha, esperando apenas que se dê o toque de avançar para que comece, que se inicie mais um combate.   Há sempre uma expectativa, e um certo alvoroço, nesses casos, por parte das tropas que estão prestes a sair em disparada, ao encontro das tropas inimigas.

                        Mais uma vez se ouve um cântico de Moisés (cântico de libertação) e o do Cordeiro, desta vez nas seguintes palavras:

 

“Grandes e maravilhosas são tuas obras, Senhor Deus, Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são teus caminhos, ó Rei das nações! Quem não temerá e não glorificará Teu nome, ó Senhor? Pois só Tu és santo; porisso todas as nações virão e adorarão diante de Ti, porque os teus atos de justiça se fizeram manifestos”. (Ap. 15:3-4).

                        João então olha, e vê o Tabernáculo de Deus, ao se abrir o céu.   Vê também 7 anjos prestes a derramar 7 flagelos, e estes saem do Santuário.

                        Este Tabernáculo é a habitação de Deus, nos céus.   O Tabernáculo terrestre já continha em sua presença a Presença do Deus Vivo entre os homens.

                        Dentro do Tabernáculo terrestre, havia a Arca da Aliança.   Ora, esta Arca não poderia descansar nesta Terra, enquanto não houvesse a conquista que, na época, foi empreendida por Josué como líder espiritual do povo de Israel.   Assim também então terá que haver uma outra batalha, uma guerra de conquista, uma destruição dos inimigos de Deus, para que o Senhor possa novamente habitar em paz com o Seu povo.

 

“Então um dos 4 seres viventes deu aos 7 anjos, 7 taças de ouro, cheias da cólera de Deus, que vive pelos séculos dos séculos. O santuário se encheu de fumaça, procedente da glória de Deus e do seu poder, e ninguém podia penetrar no santuário enquanto não se cumprissem os 7 flagelos dos 7 anjos”  (Apoc. 15:7-8).

 

 

AS 7 TAÇAS DA IRA DE DEUS:

 

                        Ouviu-se, então do Santuário celeste, uma grande voz, dizendo aos 7 anjos:

Ide e derramai pela terra as 7 taças da cólera de Deus” (Apoc. 16:1).

 

O 1O. FLAGELO (OU PRAGA):

 

                        Este primeiro anjo, ao derramar da sua taça sobre a Terra, os homens portadores da marca da Besta e os adoradores da sua imagem receberam úlceras malignas em seu corpo.

 

2O. FLAGELO, DA 2A. TAÇA:

 

                        Esta foi derramada sobre o mar, e este se tornou em sangue, e daí então morreu TODO ser vivente que havia no mar.

 

3O. FLAGELO, DA 3A. TAÇA:

 

                        Esta foi a vez dos rios e das fontes de águas, que também se tornaram em sangue.   O anjo que a derramou então exalta a justiça de Deus, que julgou àqueles que derramaram sangue dos santos e de profetas, e Deus lhes deu também sangue a beber.

 

4O. FLAGELO, DA 4A. TAÇA DA IRA DE DEUS:

 

                        Esta taça foi derramada sobre o Sol, e lhe foi dado queimar os homens com fogo.    Os homens se queimaram com o seu calor, e ainda blasfemaram o nome do Senhor, dando séria mostra de que nem com tantos castigos e pragas como protesto da parte dAquele de quem se apartaram, ainda se arrependeram, tal como aconteceu com Faraó, e as 10 pragas que caíram no Egito.

 

5A. TAÇA DA CÓLERA DE DEUS:

 

                        Esta taça foi derramada exatamente sobre o trono da Besta.   Todo seu reino se tornou em trevas, tal como a 9a. praga, a de densas trevas que foi derramada sobre o Egito (Ex. 10:21-29).  Com úlceras malignas no corpo, os homens tiveram que suportar a ira de Deus quietos, sem poder se movimentar por causa das trevas.    As dores lhe incomodarão a ponto de não dormirem, e as trevas servirão de instrumento para aquietar seus corações e meditarem nas obras de suas mãos.   Em vez disso, preferirão morder suas línguas por causa da dor, e continuar a blasfemar contra o Deus do céu, como prova de que não se arrependeram.

 

6A. TAÇA DA IRA DE DEUS:

 

                        Com o derramar da 6a. Taça da Ira de Deus, o rio Eufrates se secou.   Esta terá sido uma providência divina para facilitar a passagem de um grande exército proveniente do Oriente.   Este exército ajudará a compor uma confederação de nações comandadas pela Besta.

                        Já temos detalhado este embate quando comentamos sobre Gogue e Magogue, ao abordarmos Ezequiel 38 e 39.  São mencionados primeiramente Meseque e Tubal, depois um grupo de nações hoje ainda conhecidas: Pérsia, Etiópia e Líbia.  O terceiro grupo, composto por Gomer e Togarma.

                        Com o ressecar do rio Eufrates, haverá fome e sede em todo o reino de Babilônia, e isto antes que aconteça a grande Batalha do Armagedom.

                         O diabo, porém, fará com que saiam da boca da Besta e do Falso Profeta, três espíritos imundos semelhantes a rãs, os quais operarão milagres demoníacos para enganar e seduzir os povos, e incita-los para uma grande batalha – a do Armagedom.

                        Para que reunir tantos povos para invadir uma pequena nação como a de Israel?    Certamente que a desculpa a ser usada será a de que haverá muitos despojos a serem saqueados, mas a intenção maior de Satanás é a de fazer se extinguir todo o povo judeu, a fim de que não haja quem se salve, e assim se torne um despropósito a 2a. vinda de Jesus para os seus.   Porisso a grande agitação, a pressa em reunir os povos, e em executar a matança, o genocídio e o extermínio do povo que outrora Deus havia escolhido para ser seu.   Satanás sabe que este seu intento é muito difícil, pois que existem judeus espalhados por toda a face da Terra, mas o seu desejo será começar pela Terra Santa, e depois ir pelo mundo afora…

                        Cremos que este será o clima de preparação, tanto para o toque da 7a. trombeta, como para o derramar da 7a. taça da Ira de Deus.

                       

 

A 7A. TAÇA DA CÓLERA DIVINA:

 

 

                        Até aqui, muitos problemas, muitas mortes, muito sofrimento, tanto para o povo de Deus como para o povo seguidor da Besta, mas então ver-se-á que todo o fogo enviado já se terá apagado.   Sete selos já terão sido abertos, seis trombetas terão sido tocadas, e seis taças já terão sido derramadas.   Restam apenas a 7a. trombeta ser entoada, e ser derramada a 7a. taça da ira de Deus.

                        Apocalipse 10:7 nos diz que nos dias do toque da 7a. trombeta, então se “cumprirá o mistério de Deus, segundo Ele anunciou aos seus servos, os profetas” – e em Apoc. 11:15, lemos que “O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do seu Cristo, e Ele reinará pelos séculos dos séculos” – e, depois de um culto de adoração ao Deus Vivo, ouviu-se vozes, vieram relâmpagos, terremoto e grande saraiva.

                        Então o 7o. anjo derrama a sua taça pelo ar, e saiu grande voz do santuário, do lado do trono, dizendo:

  • “Feito está!”

    Então, tendo o Anticristo invadido a Terra de Israel com a companhia e a colaboração de vários outros países, com suas tropas, então os judeus verão com os seus olhos que o seu fim está determinado, e não haverá nada que o impeça, a menos que…

                A última esperança que o povo judeu tem arraigada em seus corações é a de que o Deus de Israel não permitirá que ele seja dizimado completamente.   Lembranças surgirão em suas memórias – a do grande livramento em Susã, em que o Senhor usou a rainha Ester e seu primo Mardoqueu…. a da 2a. Grande Guerra Mundial, na qual morreram cerca de 6 milhões de judeus, mas o Senhor não permitiu que seu inimigo fosse vencedor…  a da guerra de 6 dias, na qual o Senhor fez com que os israelitas vencessem a numerosos inimigos, armados até aos dentes …   Também se lembrarão da batalha no vale da Bênção, com a vitória sem luta que Josafá obteve …Eles se lembrarão também da promessa deixada através dos profetas Ezequiel e Daniel.   Gogue e Magogue também serão vencidos.   Como?   Não há meios humanos de se vencer a inimigos tão fortes.   Isto será como uma luta entre um urso e um coelho, como uma águia e um pardal, ou como o confronto entre um tubarão e uma sardinha.

    Israel, porém, já viu maravilhas no passado…   Será que elas tornarão a acontecer?    Israel tem o Senhor dos Exércitos, o Senhor poderoso nas batalhas…

    O sétimo flagelo acontecerá, então: um grande terremoto, tal e qual nunca houve igual, desde há gente sobre a terra. (Ap. 16:18-20)…  A grande cidade se dividiu em 3 partes, e caíram as cidades das nações.  E lembrou-se Deus da grande Babilônia para dar-lhe o cálice do vinho do furor da sua ira.

    Novamente vemos que a Terra ajudou a mulher (Israel), e engoliu o rio de águas que o dragão vomitou para traga-la.    A Terra, com esse terremoto, fará como que caiam e morram os componentes da Confederação de tropas enviadas para o extermínio do povo a quem Deus amou e ainda ama.

    Para complementar a ação do terremoto, isto é, se sobrou ainda algum remanescente das nações que vieram para a matança e o saque, ainda são arrojadas sobre a Terra, sobre os homens, com pedras que, pesadas na balança, pesarão cerca de um talento.  Cremos que pesarão cerca de 30 (talento menor) ou 60 quilos (talento duplo).

    Sabá e Dedã, os mercadores de Társis, e todos os seus governadores rapaces dirão: Vens tu para tomar o despojo? Ajuntaste o teu bando para arrebatar a presa? Para levar a prata e o ouro, para tomar o gado e as possessões, para saquear grandes despojos?” (Ezequiel 38:13).

    Apesar de toda esta tremenda manifestação da vontade divina em salvar a Israel, o povo a quem Ele escolheu para abençoar, continuou a haver blasfêmias contra Deus, da parte das pessoas que tiveram que sofrer os agravos diretos de Deus, e da Natureza .   Isto significa que, acabadas as taças da ira de Deus, ainda haverá um povo restante, que ainda ficará para viver sobre a Terra, quando então ….

    Haverá, então, a manifestação gloriosa da vinda do Filho do Homem a este mundo para colocar termo às hostes da maldade, e, após a sua descida, estabelecerá o seu Reino terreno, e governará este mundo com “cetro de ferro”, símbolo de leis rígidas e inquebrantáveis, para por tudo em ordem, em retidão e justiça.


0 comments »

Disculpa, debes iniciar sesión para escribir un comentario.

Comentarios recientes

    Fatos da História

    Evangelho