VENCENDO AS TEMPESTADES DA VIDA

0

febrero 27, 2014 by Bortolato

Tempestade e Jesus

Quantas vezes V. orou perguntando a Deus “por que me vêm problemas tão grandes que não sei como resolvê-los, e fico sem saber o que fazer?”

O Evangelho de S. Marcos, no seu capítulo 4, versículos 35 a 41, nos mostra uma situação semelhante, na qual os discípulos de Jesus pensaram que seriam engolidos por uma tempestade.   As tempestades da vida, assim também, aparecem como chegou esta aos discípulos, quando estavam navegando no mar da Galiléia.  Lutaram muito contra as ondas, e em dado momento, perceberam que estavam sendo vencidos.   Ocorre nos corações a sensação como de um jogo desses chamados “das multidões”, futebol, ou soccer, ou basebol,  muito importante, que viria a decidir o futuro do time dali para a diante,  este estaria perdendo com larga margem de pontos a favor do adversário, e o tempo decorrido e o restante estariam correndo de forma a parecer demolir as esperanças.

Estas intempéries podem ocorrer em várias áreas de nossas vidas.   No trabalho, na escola, pelas ruas, nas finanças, mas a área que mais nos abala nessas horas é o Lar.   No Lar, ninguém quer ter de enfrentar tempestades, mais do que em qualquer outro lugar.   Por quê?   Por que é ali o local onde se firmam as estruturas afetivas e psicológicas dentro das almas.   Um lar bem estruturado será sempre um porto seguro, onde podemos ancorar os nossos barquinhos.  Um ninho, que anelamos que sempre nos represente um ambiente cheio de amor.  O amor fortalece, revigora, abastece, dá suporte, estimula positivamente, oferece segurança, enfim, faz um alicerce que é para durar para toda uma existência.

Se em um lar a família percebe que existe um dos seus membros que é viciado em drogas, essa estrutura fica comprometida, pois o alicerce está trincado.

Se há problema de adultério, é como se o chão desaparecesse de debaixo dos pés do cônjuge prejudicado.

Se há finanças abaladas, também há um triste desafio que precisa ser vencido, a fim de que os membros da família possam ver-se capazes de assumir responsabilidades, com possibilidade  de um progredir alvissareiro.   Como é horrível viver-se a fase de sofrer cobranças de dívidas, ver juros aumentando o montante como uma bola de neve, cada vez mais, ver contas bancárias bloqueadas, automóvel sofrendo sequestro, moradia sendo perdida, enquanto as propagandas na TV oferecem uma vida utópica, oferecendo coisas que V. tem por importantes, outras ainda essenciais, que V. não pode comprar para os seus queridos.

Se algum membro do Lar sofre da perseguição de “bulling” na escola, isso também é algo que pode fazer os filhos desanimarem de sua carreira estudantil, e dificultar o seu futuro sucesso na vida quotidiana.

Os pais são como um muro que se fecha para se opor aos ataques de terceiros, mas quando não se tem pai e nem mãe, perguntamos:  Por que tanta demora em chegar-se a um nível de vida almejado, ou, quando muito, razoável?   Como encontrarmos a solução?

Lembre-se: Deus tem tudo sob controle, inclusive esta sua tempestade.   Mais uma coisa: obedecer ao Senhor não nos isenta de termos de passar por tempestades, mas nos dá uma confiança de que nos faz enfrentá-las com otimismo, e até podemos ter calma nas piores horas.

Jesus mandou que os discípulos entrassem no barco, e os despediu, e eles se foram pelo mar.

Às vezes é exatamente porque obedecemos, que nos deparamos com um turbilhão de dificuldades à nossa frente.    Exatamente porque  obedecemos, poderemos ser provados, mas Deus não é sádico.   Ele tem um propósito em Seu Coração.   E note: só seremos abençoados, se entrarmos no barco que Ele nos indicou.

Desobedecer ou fugir não é a melhor opção.   Se o Senhor ordena a que entremos no barco, não é hora de pular fora.    Lutas vêm mesmo, mas o choro pode durara a noite toda, e… vai nascer o Sol da Justiça.

Se pecamos e recebemos a recompensa, isto é algo explicável, mas se não achamos em nós nenhuma culpa, e temos de passar pela tempestade, podemos crer:  é nessa luta que Deus quer nos abençoar!

Os discípulos entraram no barco às 6 horas da tarde, e Jesus foi encontrar-se com eles só às três horas da madrugada.   Muitas vezes pensamos que a luta está demorando demais.  É nessas horas que a gente sente que a luta ficou muito árdua.

É hora de acalmarmos e dizer-nos para nós mesmos:   “A tempestade está debaixo do controle de Deus, e por isso, nenhum mal vai vingar.   Está tudo sob controle, e é só aguentar um pouco mais.  Esta é a atitude que Jesus esperava de Seus discípulos.”

É comum chegarmos em algum momento perguntarmos a nós mesmos: – “Será que Deus se esqueceu de mim?”   Quando jovem, esta foi a pergunta que fiz a mim mesmo, quando estava me afogando no mar, junto à praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.  Aventurando-me a ali nadar, naquele dia a correnteza me arrastava cada vez mais para dentro da baía, distanciando-me da praia.  Via somente aquele verde azulado das águas à minha frente, já submerso dentro destas.  Ouvira somente falar de Deus, mas não O conhecida como hoje O conheço.    Não estava vivendo interessado em conhecê-Lo, devido aos problemas da vida, que achava que somente eu mesmo é quem poderia dar um jeito.   Logo após ter feito esta pergunta, voltei à tona para respirar, inspirando ar com força e ansiedade, e então alguém estava ali, esperando-me para tomar-me pela cintura, e somente com uma de suas mãos, aos poucos, conseguiu levar-me seguro, de volta à praia.  Depois vim a saber que a pessoa que corajosamente salvou-me não era um bom nadador.   Todo meu desinteresse por Deus foi demolido, desde então.   Ficou claro que Ele respondeu à minha pergunta, feita na hora do extremo perigo, e dada a resposta de imediato.

Os discípulos de Jesus, no mar da Galiléia, então remavam, mas nada acontecia de favorável a eles, de modo a quase irem a pique.   Estavam cansados e fatigados, e já duvidavam que poderiam sair vivos daquele mar.

Da montanha, onde estava, Jesus os observava.   O Senhor quer que eliminemos de nossas mentes o pensamento que diz que Ele se esqueceu de nós.

O Senhor está nos vendo.   As dificuldades com a tempestade estava bem debaixo de Seus olhos.

“Mas Sião diz: O Senhor me desamparou, o Senhor se esqueceu de mim.   Acaso pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre?    Mas ainda que esta viesse a se esquecer dele, eu, todavia, não me esquecerei de ti.  Eis que nas palmas das minhas mãos te gravei; os teus muros estão continuamente perante mim.” (Isaías 49:14-16)

E:

“… aquele que tocar em vós, toca na menina do seu olho….”  (Zacarias 2:8)

Fugir não é a solução.  O Senhor mandou-lhes – “entrem no barco!”  Não pulem fora!  Ele está vendo!

Quando eles pensavam que tudo estava já perdido, lá veio Jesus!   Ele sabe aonde V. e eu estamos!  Ele está vindo ao nosso encontro!

Sim, Jesus está presente, muito embora a tempestade continue, ameaçadora.

Ele faz um caminho sobre as águas, no meio da tormenta, vindo ao nosso encontro.

Não há por que pensar que Ele usará de meios comuns ou humanos.   Ele deseja nos mostrar Quem é Ele, e por isso, é Mestre em utilizar-Se de caminhos os mais incríveis.   Ele veio por sobre as ondas , no meio da tempestade.   Deus trabalha de maneiras diferentes das nossas.

Ao surgir Jesus, alguns gritam: – “É um fantasma!”  

Não se assuste! Pode surgir  algo espantoso em seu caminho, mas veja:  nem tudo são problemas.   V. clamou a Deus?   Então creia.   Ele poderá aparecer-lhe da maneira mais inesperada, à sua frente.

Pedro, então, pensou: – “já que chegamos até este pé de situação, tudo parece ser uma maluquice, então vamos partir para o sobrenatural:

-“Senhor, se és Tu, manda que eu ande sobre as águas”.

O Senhor, que deseja que todos, sem exceção, vençam pela fé e andem sobre as águas, no sobrenatural, participando das bênçãos do Seu poder.

Note-se, porém, uma coisa:   Ele quer ver manifesta a nossa fé.   Pedro teve uma pequena fé, e começou a andar sobre a água, mas logo viu que um vento lhe soprou, ele se desequilibrou, e, duvidou do que estava acontecendo.   Então, afundou no mar, mas só por um momento.  Jesus veio, e tirou-o de dentro da água, e o exortou a ter mais fé, sem duvidar.

Ora, sem fé é impossível agradar a Deus. (Hebreus 11:6)

Que o leitor esteja colocando como alvo em sua vida crescer na fé em Deus.   Fazendo assim, não se desiludirá.

A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, prova das coisas que não se veem.

Porque para Deus todas as coisas são possíveis.

Há várias promessas na Bíblia, mas duas delas são muito maravilhosas, e são somente para os que creem, em Marcos e em Apocalipse:

“Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.  Quem crer e for batizado, será salvo; quem, porém, não crer, será condenado.”  (Marcos 16:15-16)

E:

“Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que lhes assista o direito à árvore da vida, e entrem na cidade pelas portas.”

Jesus veio para os Seus, Seu povo judeu, mas os Seus não O receberam.  A todos quantos O receberam, porém, deu-lhes o poder de serem chamados filhos de Deus, a saber, os que creem no Seu nome.

Podemos então concluir que em Jesus está a nossa solução.   Ele é a porta de acesso ao Reino do Céu.   Ele venceu o mundo, e deixou-nos a promessa de que nós também o venceremos.

Creia, e seja V. um eterno vencedor pelo poder do sangue de Jesus, o Cristo!


0 comments »

Disculpa, debes iniciar sesión para escribir un comentario.

Comentarios recientes

    Fatos da História

    Evangelho