MAIS QUE VENCEDORES

0

julio 28, 2014 by Bortolato

Atletismo

Que sonho tem V. em seu coração?  Muitos gostariam  de ser médicos, advogados, engenheiros, técnicos, ou comerciantes, ou especialistas de alguma área.   Há quem queira ser proprietário de casas, imóveis, ou de veículos, negócios ou seguir em uma carreira que acha promissora.

Tudo isso é muito bom, pois sonhar não é proibido, aliás, é muito  bom sonhar.  Quem não tem propósitos e alvos na vida, na verdade, vai sendo levado a trabalhar pelos sonhos de outros, e/ou fica enfadado a cair no vazio existencial.

Nossos sonhos podem ser altos, e alguns deles até parecer serem inatingíveis, mas quem seremos nós se não tivermos em nossos corações a bênção de podermos lutar para alcançá-los?   E todos os propósitos desta  vida demandam algum tipo de sacrifício, a fim de podermos nutri-los.   Se queremos ser formados em algum curso universitário, teremos que estudar: frequentar aulas, gastar tempo lendo, fazendo tarefas de casa, e isso muitas vezes.  Se queremos ter um imóvel, precisaremos fazer economia por bom tempo, a menos que já tenhamos nascido em algum berço de ouro, mas quanto maior o preço que tivermos de pagar, mais valorizada será a conquista.

JESUS:

Veja-se então a carreira que desenvolveu Jesus nesta Terra.   Ele, sendo o Filho de Deus, veio a este mundo com um grande propósito:  o Seu sonho era o de buscar e salvar o que se havia perdido (Lucas 19:10), e para tanto veio desfazendo as obras do diabo (Atos 10:38).

Ele não almejou tomar o cargo de Caifás, nem de Herodes, e nem tampouco veio só para dar continuidade à obra iniciada por João Batista, mas muito mais do que isso,  Ele veio, sim, mas para que o mundo soubesse que Ele é nosso Sumo Sacerdote, o Rei dos reis, Senhor dos senhores, além de ser O Profeta – e conseguiu!   Mas para chegar a esse ponto, Ele, Jesus, aceitou  grandes desafios.   Nada que se assemelhe com a cruz.   Tinha que fazer jejuns muito longos, orar noites a fio, curar muitos enfermos, enfrentar a uma oposição truculenta e assassina, e ainda teve que pagar pelos nossos pecados.   Ele sabia que, para lograr alcançar o que Ele queria, tudo isso viria a lhe custar a própria vida!    Admiravelmente, Ele não se negou a empreender uma marcha que se aproximava a cada dia mais de seu suplício e sacrifício.

Ele queria um resultado com sua vinda em  carne, e sabia que teria que lutar muito para isso.   Empreendeu uma verdadeira guerra, e conseguiu vencê-la.   Hoje Se assenta à destra do Pai, recebeu todo o poder no céu e na Terra, já reina dentro de muitos corações, e virá ainda a julgar vivos e mortos, ao ser feito o Rei que haverá de reinar sobre todo este mundo

PAULO:

Já o apóstolo Paulo, que teve seu coração conquistado por Jesus, tinha outro sonho: queria ver Cristo reinando nos corações, tanto de judeus como de gentios do mundo inteiro.  Nobre ideal, e ele também fez de tudo para consegui-lo.    Viajou para muitas partes do globo para isso, e relativamente o logrou, no que tange à parte que cabia à sua incumbência.   Para percorrer esse caminho, fabricou muitas tendas, pois sua fábrica individual não era um fim, mas um meio de obter a graça de alcançar o seu alvo.

O apóstolo Paulo, para a admiração de todos, teve uma expectativa muito otimista sobre os sofrimentos desta vida pela qual passamos.    E mais: ele parecia que se alegrava quando vinham as tribulações.    Para ele, parece que tanto fazia se o mal lhe achegava ou não.

O sentimento interior desse apostolo é uma maravilha, pois parece que para si, não havia tempo quente, nem amargura.      As expectativas de sua vida terrena lhe eram como de uma viagem tempestuosa, na qual ele se coloca de forma a deixar a sua cabeça tomar todo o vento, toda chuva, molhar-lhe todo e, com o coração alegre, começa a cantar a Deus, que lhe enviou a tempestade.

Foi chicoteado por três vezes, ameaçado de morte inumeravelmente,  apedrejado de forma a ser dado como morto, e três vezes naufragou no meio das águas (II Coríntios 11:25-27).   Na prisão de Filipos, preso junto a um tronco simplesmente por haver expulsado um espírito de adivinhação de uma jovem que insistentemente lhe atrapalhou a pregação do evangelho, e de ser castigado com açoites.  Mesmo sentindo as dores dos vergões e cortes de suas costas, gemendo um pouco aqui e ali, de repente aconteceu o que mais queria: tudo culminou quando surpreendentemente  começou a se alegrar e cantar em duo com Silas.   As luzes dos archotes começaram a balançar, e logo um terremoto fez tremer toda aquela prisão.   O carcereiro viu as portas das celas abertas, e presumindo que os presos tinham fugido, quis matar-se com uma espada, mas Paulo o impediu, dizendo-lhe bem alto que todos eles estavam ali.    O homem se comoveu, e, tremendo, ajoelhou-se, pedindo orientação sobre como fazer para ser salvo.   Paulo lhe diz:  – “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa”.   Como resultado daquela decisão, toda a casa do carcereiro se converteu a Jesus.   Aquilo que Paulo queria, estava acontecendo, mesmo debaixo de perseguição.    Vidas estavam recebendo Jesus em seus corações.   O Espírito Santo se alegrou com ele, pois era isso que o Senhor esperava de suas atitudes frente às dificuldades da vida.

Por quê?  Paulo mesmo nos responde:

“Porque para mim, tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória que há de ser revelada em nós” (Romanos 8:18)

É isso que Deus quer que façamos:  louvemos ao Seu nome, mesmo em meio a lutas e problemas.   Como isso aconteceu?   Não podemos explicar isso, mas podemos afirmar que é um milagre que Deus opera em nós, transformando as nossas almas, envolvendo-as com a Sua alegria, como que com um manto que desce do céu, e que aquece os nossos corações.

AO QUE TEMOS QUE VENCER?

“Em todas essas coisas somos mais que vencedores por meio dAquele que nos amou, pois estou convencido de que nem a morte, nem a vida, nem anjos (nem demônios), nem o presente, nem o porvir, nem principados, nem potestades, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor”  (Romanos 8:27-39)

Nada!  Nada, nada nos poderá separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor!   E o que podemos reputar por nada, nesse caso?  Ora nada é nada mesmo.  Quando pensamos em um nada, logo nos vem à mente um espaço em branco – retire-se esse espaço em branco, e então teremos o verdadeiro “nada”.    Se estamos em Cristo, é esse nada que nos poderá separar dEle.

Andamos neste mundo, mas às vezes ficamos amedrontados com algumas coisas .   Somos assombrados por algumas impressões com que nos deparamos.

Dificuldades podem aumentar, podem suceder-se umas às outras, e chegar até a abalar a nossa segurança.   São desafios à nossa fé.     São ali colocados , não para fazer-nos cair, mas para nos fazer fortes, pois que quando pesamos tudo isso numa balança, o fiel nos mostra que todos esses fantasmas desaparecem, porque não podem competir com o real peso do amor de Deus que se revelou em Jesus, o nosso Senhor!

Vamos analisar quais coisas o Apóstolo Paulo coloca na balança, para nos fazer lembrar o que é o mais importante.

1.A morte ou a vida:

A morte é um fato que as pessoas não gostam de nela pensar, porque põe um termo à vida, e quer admitam ou não, a vida é um dom precioso que Deus nos deu, e temos que prezá-lo.

A morte não poderá nos separar de Cristo, porque quando o Senhor se manifestar em sua próxima vinda, os túmulos onde os Seus fiéis forem depositados se abrirão, os mares também se abrirão e a morte terá que desprendê-los para o estupendo e maravilhoso voo para o encontro com Jesus nos ares.  Haverá uma ressurreição, à semelhança da ressurreição de Cristo. E então, não haverá mais morte, na verdade, dar-se-á o início de uma vida plena de glória como nunca – e haveremos de participar dessa glória.

Alguns acham que a vida é desfrutar das coisas que há nesta terra, e por isso, vivem sempre querendo mais, e ter mais.   Compram tudo o que podem, e até o que não podem; fazem muitas extravagâncias no afã de quererem viver, mas no final chegam à conclusão de que isso não é vida, e que correram atrás de vaidades, como que atrás de ventos.

Vida é aquela que Jesus nos dá.   Ele disse:

“Eu vim para que  tenham vida, e vida em abundância”.  (João 10:10)

Nas palavras do apóstolo S. João:

“O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam – isso proclamamos a respeito da Palavra da Vida.” (I João 1:1)

Em João 5:24, também lemos:

“Em verdade vos digo: quem ouve a minha Palavra, e crê nAquele que Me enviou, tem a vida eterna, não sofrerá condenação, mas já passou da morte para a vida.” 

 

2. Anjos ou demônios:

Os santos anjos de Deus não nos promoverão separação do amor de Deus, mas pelo contrário, eles farão o possível e o impossível para nos unirmos mais e mais a Ele.

Quem nos procura separar do Senhor são os demônios, seres espirituais que lutam por todos os meios para nos fazer esfriar na fé, para nos fazer descrermos que o Senhor nos tem em alta conta:  oferecendo de tudo o que há neste mundo para nos desviar do nosso foco principal, que é Cristo.

Certa vez um rapaz que se deixou levar pelo poder das trevas ficou endemoninhado, mas em certo momento o inimigo das nossas almas diz que é o tal “príncipe das trevas” que ali estava falando.   Dizia o que arrogava ser Satanás:

“Por que vocês estão fazendo isso?  Passem para o meu lado, pois eu lhes darei tudo: dinheiro, fama, riquezas…”  insinuou uma porção de coisas, prometendo o mundo a quem o quisesse, bastando para isso que se trocasse de  bandeira.

Graças a Deus, quem é fiel a Deus sabe o que responder nessas horas, e um irmão então lhe respondeu assim:

“V. já ofereceu isso ao meu Senhor um dia, lá no deserto, e a mesma resposta que Ele lhe deu, eu também lhe respondo.   E agora, saia dele, em nome de Jesus!”

É isso mesmo que devemos responder ao diabo – e sem mais conversa.   Quem é sábio, e for esperto, saberá que o inimigo pode oferecer uma bênção, mas ao mesmo tempo em que subtrai outras nove, para quem quiser fazer negócios com ele.   Ele é mentiroso e pai da mentira, alguém em quem não se pode confiar, e além disso, não é de bom alvitre, não fica bem trocarmos a nossa paz com coisas que nos tiram a paz.

Pois o que se vê?   O inimigo quer nos tirar da presença e dos caminhos de Deus, não importa a que preço, mas a Palavra de Deus nos diz:

“Sujeitai-vos pois a Deus, resisti ao diabo e ele fugirá de vós”

Além do mais, as ofertas do diabo, é muito bom a gente lembrar, só podem alcançar a duração desta vida terrena, e temos uma eternidade para vivermos, para a qual só Jesus tem a oferta imbatível: para todo o sempre!

 

3. Nem o presente e nem o porvir:

Ao tempo presente, muitas vezes sofremos: às vezes escassez de recursos, às vezes uma enfermidade, às vezes um desafio, que parece uma longa guerra que quase não termina, mas fiquemos tranquilos: o apóstolo Paulo disse aos cristãos de Listra, Iconio e Antioquia:

“Importa que passemos por muitas tribulações para que entremos no Reino de Deus” (Atos 14:22)

Às vezes ficamos pensando: quando será que tudo isso vai passar?

Não nos desesperemos, pois não estamos pagando pelos nossos pecados.   Tribulações vêm para todos, indistintamente, porque não há outro jeito.   Não há outro caminho: se somos de Jesus, temos o mundo, o diabo e até a nossa própria carne a lutar contra nós, e será uma luta até o fim, mas espere!   Lutas são os meios pelos quais Deus quer fazer-nos vitoriosos e crescermos na Sua graça.

Ninguém que para e fica no meio do caminho alcançará vitória.   E só quem quer ser enganado, ficará parado, em cima do muro.    Entremos na luta.   Cristo nos dá vitória e nos dá poder para isso.

Hoje lutamos, e amanhã venceremos.  Não há o que temer pelo amanhã.

 

4. Nem poderes, nem potestades:

Não precisamos temer a nenhum poder deste mundo, grande ou pequeno.   Governos vários deste mundo querem impedir que o evangelho seja pregado, mas tenhamos a plena certeza de que a porta que Jesus abre, ninguém fecha (Apocalipse 3:7).

O irmão André, que já enviou, em 1980, através da Missão Portas Abertas, um milhão de Bíblias para a China, já contrabandeou muitas bíblias para a antiga URSS e para outros países do bloco comunista, constatou muito bem esta verdade, e até escreveu um livro intitulado de “Não há portas fechadas”.

Então, quer ouçam os homens, quer façam-se de surdos, eles têm que ouvir, quer governos aceitem isso ou não.   Com todas as leis proibitivas, a China hoje está grávida de uma igreja que cresce em ritmo acelerado, ao ponto de seus líderes espirituais estarem orando… (pasmem) pela igreja do ocidente, do mundo livre, que, ao seus olhos, carecem da força e do poder para enfrentar as provações e os desafios que o mundo oferece.

Desde o ano 70 DC, israelitas ficaram espalhados pelo mundo, sem poderem constituir sua nação.   Perseguidos de todos os lados, na segunda Grande Guerra cerca de seis milhões de judeus foram mortos, em grande parte dentro das câmaras de gás, nos campos de concentração.   O nazismo caiu no final da guerra em 1945, e em maio de 1947, aprovado pelo conselho da ONU, Israel voltou a ser uma nação.   Quando Deus quer, não há quem o impeça.

5. Nem altura, nem profundidade:

Em fevereiro de 1965, ocorreu-me um fato marcante, que me ficou para sempre registrado na memória.   Na ocasião, contava com dezessete anos de idade.

Depois de percorrer rapidamente por algumas religiões, tinha decidido não mais me ligar a nenhuma delas.   Queria viver a vida independente de crenças, como, talvez, um livre pensador o faria.

Fui fazer turismo na cidade do Rio de Janeiro, e um dia, junto à praia de Copacabana, e aventurei-me a nadar no mar.   Naquele dia, a maré estava puxando as águas para dentro daquela tremenda massa aquática.   Dado momento, decidi voltar, mas pareceu-me que era tarde.   Não conseguia vencer a força que me levava cada vez mais para o fundo da baía.   Sem sucesso naquele esforço, cansado, em dado momento, comecei a afundar.   Afundei longamente, mas voltava à tona para respirar.  Isso aconteceu por três vezes, e pensei:  “Será que Deus se esqueceu de mim?” Então afundei de tal maneira que toquei na areia do fundo da baía.  Lutando por viver, dei ainda mais um impulso, e cheguei novamente à tona.  Alguém que tinha percebido minha dificuldade, estava ali, esperando-me, e então este tomou-me com um de seus braços pela minha cintura, e começou a nadar, com um só de seus braços.   Incrivelmente, aquilo que eu não consegui fazer com meus dois braços, ele me tomou e logrou levar-me até a praia, a salvo.   Depois, vim a saber que o tal homem não sabia nadar muito bem.   Creio que Deus me respondeu desta forma à minha pergunta dramática.   Não vivi bem as profundezas do profeta Jonas, mas para mim, aquilo foi o suficiente.

Assim, entendi que não há profundidade de onde Deus não nos possa salvar.   A profundidade não nos pode separar do amor de Deus!

Depois disso, passei a ficar mais atento ao Deus que me respondeu,  salvando-me a vida naquele incidente.   Em outubro daquele mesmo ano, decidi entregar minha vida nas mãos de Jesus, o Cristo, e passei a segui-lo da melhor maneira, ou seja, atendendo aos Seus chamados.

Quanto à altura, não tenho um exemplo melhor para comentar, senão o do Pr. Samuel Doctorian.   Ele é um servo de Deus.  Veio à Inglaterra para estudar em um Seminário para conhecer a Palavra de Deus.   Hoje é um conferencista reconhecidamente internacional, que prega com poder o Evangelho da graça de Jesus.

Um dia teve que viajar do Oriente Médio para a Inglaterra, e teve que tomar uma avião.   Assentou-se em seu lugar, e a viagem se iniciou tranquila até um certo ponto, em que percebeu que os passageiros ali estavam espantados com alguma coisa que viram.  Ele olhou pela janela, e viu que um dos motores da nave estava soltando muita fumaça.   O comandante enviou uma mensagem a todos para que ficassem em seus assentos, e procurassem ter calma, pois estavam com problemas naquele motor.   Ele então conseguiu licença para se dirigir ao banheiro, e ali se trancou, e ali começou a buscar ao Senhor.  Inclinou seu rosto o mais que pôde, e então viu os pés do Senhor ali, à sua frente.   O Senhor então lhe chama pelo nome, e lhe fala que estava salvando o avião e as vidas que com ele viajavam, por causa de Samuel.   Ele voltou para seu lugar, e notou que as pessoas ao derredor estavam muito preocupadas, mas o seu coração gozava de uma indizível paz.    Logo, algumas pessoas viram que o motor que estava fumegando se desprendeu da asa do avião, e caiu no espaço.   Eles continuaram viagem indo mais um pouco em frente, pousando em um lugar onde fosse possível fazer uma aterrisagem com segurança, e ele pôde então completar a sua viagem até o destino que estava de início programado.    Mais tarde ele veio a saber que o motor que estava fumegando caiu em uma praia da Itália, e ali permaneceu queimando por cerca de quatro horas seguidas.   É intuitivo entendermos que se aquele motor continuasse a queimar e esquentar a asa da nave, ela certamente teria explodido.

Realmente, pois, vemos que não há altura que nos possa separar do amor de Deus.

Assim, chegando a este ponto, concluímos esta meditação.

Cada um tem uma trajetória de vida que, em parte escolheu, em parte foi levado até onde chegou.   Creio que todos, sem exceção, chegaram a balançar na fé.  Infelizmente, alguns até sucumbiram, mas pelo fato de que, quando Deus quer compartilhar Sua vida conosco, Ele é quem primeiro nos estende a mão para que a tomemos, e nos seguremos nEle, até os náufragos descrentes podem ter sua oportunidade.   A fé às vezes pode parecer um tanto sutil, mas não é uma fábula, não é irreal, se a temos em Cristo, o Senhor.   Ele não falha, e gostaria que nós também não falhássemos – mas se alguém falhar, temos um Intercessor diante de Deus Pai, um advogado, um verdadeiro amigo, mais chegado que um irmão, que não mede esforços para nos ter junto de Si.   Estendamos também nossas mãos para Ele, que nos pode salvar.

Que todos creiam: nada, absolutamente nada nos pode separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor!   Dificuldades podem surgir, mas elas fazem parte previsível do percurso de nossa viagem ao lar celeste que Ele nos prometeu e há de dar.   Que todos segurem nas mãos desse maravilhoso Ser, nosso Criador, e nosso Salvador:  Jesus, o Cristo, Yeshua, Ha Mashiah.


0 comments »

Disculpa, debes iniciar sesión para escribir un comentario.

Comentarios recientes

    Fatos da História

    Evangelho