PREPARA-TE!

0

junio 22, 2015 by Bortolato

Bíblia com fogo

Bíblia com fogo

Texto-base:  Amós 4:12:  “Portanto assim te farei, ó Israel!  E porque isso te farei, prepara-te, ó Israel, para encontrares com o teu Deus.”

  1. INTRODUÇÃO:

Certa vez Deus falou ao Pr. David Wilkerson, quando este estava se preparando para sair , ao tentar arrumar-se diante do espelho.

Pr. David Wilkerson é aquele pastor que ouviu a voz de Deus um dia, dizendo que ele tinha que ir a Nova Iorque para ajudar meninos e meninas que se viciaram em drogas e por fim fundou um movimento de casas de recuperação para essas pessoas.

O Senhor lhe falou rápida e suscintamente: – “Prepara-te!”

– “Prepara-me para quê, Senhor?  Eu já estou fazendo a tua obra… o que devo eu fazer agora?”

Então o Senhor lhe mostrou que há vários tipos de preparação, e que ele tinha, mesmo, que fazer algumas coisas para se preparar – e ele de fato se preparou para algumas coisas que estavam por vir em sua vida.   Muitas vezes é melhor nos prepararmos para o que teremos pela nossa frente,  do que irmos ao encontro delas sem preparo.

  • Ele teve que viajar o mundo para pregar a Palavra a muitos povos. Muitos se converteram ao Senhor, saindo da vida de perdição das drogas para Cristo.   Mas ele tinha um problema que muito o afetava nessas viagens de avião: ele passava mal.   Tinha algo que o perturbava durante os voos.   Para remediar esse problema, ele teve que mudar-se para um Estado mais centralizado dos EEUU, de onde poderia viajar de ônibus para as outras partes do país, pois a maioria dos seus compromissos se localizavam ali mesmo, no âmbito da América do Norte.
  • Depois de algum tempo, sua esposa contraiu câncer, e teve de enfrentar uma longa batalha.   É preciso estar bem estruturado para suportar o peso de um problema desses, que não se resolve da noite para o dia, e estar firme nas mãos de Deus.
  • Hoje já faz alguns anos que esse pastor foi recolhido pelo Senhor, em 2011 e está desfrutando da vida celeste mais íntima com Jesus, mas morreu com o coração em paz, e creu, deve estar bem feliz neste momento.

 II. PREPARA-TE PARA OUVIR O CHAMADO DE DEUS

Isaías, capítulo 6º nos fala de um homem que estava junto à entrada do Templo do Senhor, em Jerusalém.   Ele já era um profeta, antes de ter aquela visão, mas o seu livro contava apenas cinco capítulos.

II.a) Ele então teve seus olhos espirituais abertos.

Sim, porque em tese todos nós temos olhos carnais e olhos espirituais.   Os olhos espirituais veem coisas que os olhos carnais não veem, podendo até mesmo um cego enxergar com os olhos do espírito.

Diante do Templo ele está, então olha, e vê a Quem?

II.a.a) Ele viu ao Senhor!  Ele viu a Deus!

Pelo fato de Moisés querer vê-lo também, mas nessa ocasião ter recebido a revelação de que nenhum homem verá a face de Deus, o Pai, e viverá, creio que Isaías não pôde contemplar a Sua face, mas que ele viu algo muito precioso, ele viu!  O que ele viu, eu também queria ver, e creio que V. também.   Ele viu ao Senhor!

Quantos de nós queríamos também vê-lo, mas não o logramos ainda…  não fomos ainda privilegiados com esta visão real do Deus Altíssimo!

Muitos, porém, já viram ao Deus Filho, revelado em carne na pessoa de Jesus, o Cristo, o Messias.

II.b ) Ele olha e se vê apertado, e despreparado para aquele momento

Isaías se viu surpreendido, e começou a ver-se em uma situação apertada;  então, tendo seus olhos espirituais abertos, viu Àquele que habitava no Seu santo Templo, e logo pensou: -“ é agora que eu vou morrer!  Meus olhos viram a Ele, e eu sou um pecador!”

II.b.a) Ele avalia, e pesa-se a si na mesma balança em que pesa também ao povo:

Pensava ele: – “Meus lábios aprenderam o mal;  vivendo no meio de uma geração de gente impura, que fala coisas que não devia falar, pessoas que não caem no agrado de Deus; que usam de termos inadequados, impuros mesmo, para se expressar – eu vivi no meio deles, e aprendi a pensar e a falar como eles; eu não posso sobreviver à santidade da Presença de Deus.   – “Ai de mim!  Eu estou morrendo!”

II.b.b) Ele se condena a si mesmo e se sentencia

Ele, Isaías, era então um primo do rei Uzias, e provavelmente sentira na pele que a morte estava perto de sua família.   Ao ver o Senhor, ele se sentiu muito mal.   Pensava ele assim: “ Eu vou morrer, e é agora!    Chegou o meu fim!   Acabou-se a minha vida terrena!  Eu devia me preparar melhor para ter este encontro inesperado com Deus!”

II.b.c) Como cada um de nós se avaliaria naquele confronto com Deus?

Diria alguém que Isaías não conhecia o Senhor até então, mas não é isso que a Bíblia nos dá a entender.   Seu livro começa dizendo que ele recebeu profecias de Deus durante o reinado de vários reis, inclusive no do rei Uzias.   Ele escreveu cinco capítulos de seu livro, e quando chega no sexto, ele aponta:  “No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi o Senhor….”   Ele não era um descrente, ou um alienado das coisas de Deus até então, mas…

Quem aqui acha que estaria em melhores condições do que Isaías estava naquela hora?  Eu sinceramente, não acho que estaria (estou falando por mim).   Se V. também se acharia nas mesmas condições, não se atormente – o que Deus fez por Isaías, pode fazer por nós também!

Nos Salmos 14 e 53 a Bíblia diz que Deus olhou do céu para a Terra, e não encontrou um justo sequer!   Ninguém!   Ninguém que fizesse sempre o bem!  Ninguém!   Isaías não era uma exceção.   Ele sabia disso.   Ele sentiu  isso quando se viu na presença do Deus Todo-Poderoso, o Grande Juiz de toda a Terra, que há de julgar tanto os vivos como os mortos.

II.b.d) Como era a visão de Deus no Seu trono

E os seus olhos estavam vendo um ALTO e sublime trono, o Trono da glória de Deus!   A Palavra diz que o grande Rei do Universo estava ali, assentado sobre aquele tremendo Trono, que olhos carnais jamais viram outro igual!

E ele via aquelas vestes reais, não sabemos de que cor, mas a julgar pelas cores usadas nas cortinas do Tabernáculo do deserto, e do Templo de Jerusalém, deviam ser de cor púrpura (aquele prateado claro, com ligeiros nuances de dourado), brancas, símbolo da pureza da Sua santidade, e azul, cor que, segundo a visão de Moisés, Arão, Nadabe e Abiú, e dos 70 anciãos no deserto, estava emanando dos Seus pés, perfazendo como que uma calçada de safiras, brilhantes como o céu, no monte Sinai.

E os serafins, que tinham seis asas, e voavam ao Seu redor, clamando: “Santo! Santo! Santo!  Toda Terra está cheia da Sua glória!”   Conforme eles clamavam, as bases das portas, daquelas tremendas portas, tremeram, e a casa toda se encheu de fumaça.   Isso era temível!   Como qualquer um de nós se sentiria diante de um terremoto, sabendo que é devido ao fato das abas das vestes reais de Deus estarem tocando e enchendo o templo?

Aquelas vestes reais, de cores deslumbrantes, cheias de brilho e das cores próprias, desciam do Trono do céu, e bastavam apenas as pontas das suas abas, pois estas eram grandes o suficiente para encher o Templo!   Como disse Jó um dia:  “Essas coisas são apenas as orlas dos Seus caminhos” (Jó 26:14).   Era uma visão extasiante, mas, mais do que isso, era terrível, pois ninguém viu a Sua face e viveu!

O profeta pensou: – “Ai de mim!  Estou perdido!  Eu sou um homem de lábios impuros, como os demais desta Terra!   Como poderia eu vê-Lo, e viver?”

Assim se sentiu um profeta amplamente usado nas mãos do Deus de Jacó.   Que diríamos nós?

II.c) Apesar de nossas culpas, Deus pode nos tratar como justos.

BOAS NOTÍCIAS: mas quando temos um encontro assim com Deus, nem sempre é para perecermos, fulminados pelos raios do Seu poder.

Nossas justiças, dizia Isaías 64:6, são como trapos de imundícia.  Com toda certeza, não merecemos ser bem tratados pelo Santíssimo Deus, mas Ele tem um caminho de amor, de compaixão, de ternura que se externa em forma de Sua graça…   Ele tem um carinho tão especial pelas Suas criaturas, de forma tal que sempre se abre um caminho por onde podemos testemunhar a transformação de um drama em dia de alegrias.

II.c.a) A solução está no altar dos Holocaustos

Um serafim, um daqueles seres dotados de seis asas (com duas cobriam o rosto, com duas cobriam seus pés, e com duas voavam) logicamente autorizado a assim proceder pelo Deus Altíssimo, vai voando, desce das alturas do Trono de Deus, e o seu voo chega até ali bem pertinho.  Aonde ele vai?   Até o altar!   O altar do Holocaustos, que ficava ali, ao lado do Templo de Jerusalém!

Ali, naquele altar, onde muito sangue de animais e aves foi derramado, prefigurando, ou melhor, pré-dramatizando para fazer homens sentirem uma pequenina, uma ínfima parte, uma minúscula e imperfeita demonstração do sacrifício de Jesus, o Único Filho de Deus, que morreu naquela mesma cidade anos mais tarde, para verter o Seu sangue, sangue que limpa, que purifica, que lava, e remove toda e qualquer mancha de pecado…

II.c.b) Em vez de condenação e morte, ele viveu uma glória.

Queria que todos os que leem esta mensagem  fossem transportados para aquele cenário onde estava o profeta Isaías, e sentissem-se da mesma forma que ele se sentiu, pois foi mais que um alívio, foi uma glória o que ele vivenciou naquele instante.

Vamos, em espírito, acompanhar esse momento da vida do profeta.  Foi um momento muito especial e único.   Isaías nunca mais teve outra experiência igual, e nem precisaria ter.  Ele nunca mais foi o mesmo dali em diante.  Depois desse capítulo, ele veio a escrever mais sessenta outros capítulos em seu livro.

II.c.b.1) Uma pequena brasa viva, a solução

Apesar de sentir-se despreparado, Deus , que muita misericórdia tem em Seu grande coração, aceitou a presença do profeta Isaías ali, e o serafim que foi até o altar dos Holocaustos colheu ali uma brasa viva, creio que não era uma brasa qualquer, não da madeira queimada que tinha virado carvão e ficou acesa pelo fogo, mas era um pequeno pedaço, uma maravilha do céu, que se encontrava ali, propiciada pelo poder de Deus que antevia o sacrifício de Cristo, que purifica o maior dos pecadores e o torna santo, semelhante ao Deus Santíssimo.   Tenho para mim que aquela brasa era, não de madeira queimada, mas do próprio sangue de Jesus gerando aquele fogo purificador.  Glórias a Deus!

II.c.b.2) O sangue se misturava com fogo!

O Senhor olhou para aquele sangue de animais que continuamente era derramado sobre o altar dos Holacaustos, desprendendo-se daqueles corpos que ainda sangravam, e cujo sangue escorria pela grade do altar, para cair sobre aquelas brasas em fogo que acolhiam aquele elemento, queimava-o ao ponto daquele sangue desaparecer na fumaça…   Deus olhava para aquele sangue que tocava naquelas brasas vivas, e a Sua visão Onisciente se projetava para o futuro.  Sim, projetava-se para aquela sexta-feira de preparação de uma Páscoa, cerca do ano 29 da nossa Era.   Ele via ali, naquele sangue carmesim do altar dos Holocaustos,  o sangue de Seu próprio Filho, que foi derramado em Jerusalém, no monte Calvário.

Ninguém sabe como essa  transposição através dos séculos era processada diante de Deus, mas o fato é que sangue de Jesus estava ali, santificando aquelas brasas acesas.

Procuro entender o ponto de vista de Deus, e consigo apenas compará-Lo a um pai terreno, que, tendo um único filho, ao vê-lo crucificado, esvaindo em sangue, esse pai nunca mais vai se esquecer dessa cena, e sempre que ele chegar a ver algum sangue, logo se lembrará do sangue do seu amado filho que morreu de forma tão trágica.   Pois Deus vê aquele sangue de animais, que tantas vezes foi vertido ali, na grelha do altar, e que caía sobre as brasas, e lembra-Se que foi por amor a nós que aquilo aconteceu.   Ele transporta a Sua visão para aquele dia de Páscoa, e lembra-se de Jesus ali, cujo sangue puro, santo, e cheio de tal poder, que os anjos não podem sequer tocar na brasa que milagrosamente mostrava ter reagido com o sangue do Filho de Deus, e dá ordem ao serafim para que algo seja feito com o profeta Isaías.

“Agora isto tocou os teus lábios; a tua culpa foi tirada, e o teu pecado, perdoado” (Is. 6:7)

É essa brasa viva que nos transforma, pois que é superlotada do poder redentor do Cristo de Deus, que Jesus de Nazaré derramou para que se desprendesse o poder transformador do céu para sobre nossas, a minha e a sua vida!   Clame, pois, por este sangue remidor, cheio da graça de Deus!   V. será mudado para muito melhor; não espere por isso!

II.b.3) Sangue de Jesus + Fogo nem anjos suportam tocar

Tão santa era aquela brasa, que o anjo não pôde tomá-la nas mãos, mas teve que pegá-la com uma tenaz, aquela grande pinça que se usa para apanhar brasas.

Agora imagine V.!  Se o anjo nem pôde suportar o calor daquela brasa, e nem pôde tocá-la com as mãos, é porque ela devia estar soltando um fogo de alto poder espiritual!  Logo, que efeito será que essa brasa fará ao tocar na pele de alguém?   Que dirá então nos lábios!

E ela tocou, sim, em Isaías, onde?  Nos seus, lábios, lábios que ele reconhecia serem impuros!   Naquela parte de sua vida que ele mais temia, que sentia ser indigna diante do Deus Santo, o Senhor de toda a Terra!   Isaías sentiu imediatamente o efeito daquele toque poderoso!

II.b.c.4) Deus está falando através de Isaías

Como se aplica isto naquele compartimento do seu coração que V. sabe que está uma desordem?   Que muitas vezes V. falou para o Senhor:  “Ah, Senhor, é melhor Tu não entrares aí, senão vou passar vergonha!”

Deus está lhe falando agora, que Ele quer tocar naquela parte do seu ser em que V. mais tem fracassado espiritualmente, para torná-lo em um profeta vitorioso!

Ele quer lhe tocar com uma brasa viva do altar, para transformá-lo, e fazê-lo vitorioso!  V. já sentiu isso alguma vez?  mas agora Ele quer de maneira diferente.  E V. quer?

Então a palavra dEle é: – “Prepara-te!  Prepara-te!   Prepara-te!”  Pois Ele logo o visitará!  Jejue e ore, medite, aceite a vontade plena de Deus para sua vida!

Prepare-se para ter um encontro com Deus, ao ponto de ter de passar a conviver com os seres celestiais!

Sua vida vai sofrer mudanças, mas vai valer a pena!

III. PREPARA-TE PARA O APITO FINAL!

Não poderíamos deixar de tocar nessa área das nossas vidas.

Todos nós temos um percurso traçado, que perfaz a história de vida a percorrermos.   Todos temos, nesse caminho, o princípio, o meio e o fim.

Já fui criança, jovem, hoje sou adulto, e agora estou passando pela terceira idade…

Algumas pessoas começam a me dizer que a vida já me passou da metade, e que em algum momento…  bem, terei que partir.

Quando criança, bem como na minha juventude, fui acometido de enfermidades que me faziam delirar.   Eu via o teto da casa onde morava abaixando e subindo, conforme eu respirava, via tudo amarelado, como se o ar tivesse sido tingido de amarelo.   Meu irmão menor, certa vez, delirando em febre, dizia: “o macarrão está de ponta cabeça”.   Às vezes sentia como se estivesse partindo, mas não foi daquela vez – ainda estou aqui, ainda não fui, até esta data, 21/06/2015.

Mas preciso me preparar para isto.

Quando será?   Não sei, e ninguém pode me informar; ninguém sabe senão Deus.

O fato é algo que não depende da nossa vontade, e nem temos outra opção em nosso poder de decisão.

Será que cada um de nós aqui estaria preparado para esse encontro com Deus, após ao apito final?   Ao tocar das trombetas?

Muitas pessoas preferem não tocar nesse assunto, mas é um aspecto da vida que existe, e não há quem possa fugir dessa “Gran Finale”.

Já imaginou como será?   Ou como poderia ser?

Alguém pensa logo que uma enfermidade poderia ser o veículo, como foi o caso de Eliseu.   Outros pensam em morrer só quando ficarem bem velhos, como Abraão, Isaque ou Jacó.   Já outros, como uma irmã em Cristo que disse que sua mãe viveu até os 102 anos, mas ela não queria ficar tão débil, sem poder enxergar direito, sem poder andar, e sem poder ouvir direito;  e talvez até perder a memória – se for assim, ela disse que prefere ir para casa logo!

Sabemos que há casos como o dos apóstolos, Pedro, Paulo, Tiago, que morreram como Jesus, sentenciados como se fossem cidadãos transgressores das leis civis, finais dramáticos,              mas que  glorificaram a Jesus…  tudo para que pudessem receber uma recompensa maior das mãos do nosso Pai

Não se preocupe com esses detalhes.   Muitos já escaparam de morte iminente por várias vezes, e ainda restam vivos.   Isso também não é o mais importante.

O mais importante é  – “Prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus”

Como estaremos naquele dia?   Não podemos dizer que está longe ou perto, não se preocupe com este detalhe, mas podemos nos preparar para dizermos a qualquer momento:

“Eis-me aqui, Senhor, envia-me a mim!”

“Podes me enviar, como também, se quiseres, podes me levar.  Cumpre a tua vontade em mim! ”

Se V. chegou a este nível de concordância com o Espírito de Deus, então pode dizer  que está maduro, que cresceu no espírito, e que um dia há de ouvir o Senhor lhe dizer:

“Bem está, servo bom e fiel; entra no gozo do teu Senhor!”


0 comments »

Disculpa, debes iniciar sesión para escribir un comentario.

Comentarios recientes

    Fatos da História

    Evangelho