Quantos anos você tem?

0

marzo 16, 2013 by Bortolato

Quantos anos V. tem?

“A vida é como um vapor que passa, e se dissipa rapidamente”

 

Perguntaram a um sábio e ele respondeu:  – “Eu tenho oito anos”.  Ele quis dizer: tenho uma expectativa de viver por cerca de mais oito anos.  Não importam mais os anos que já se foram.  Importa que hoje eu tenho à minha frente, espero viver mais alguns OUTROS anos de vida.

Daí a pergunta que devemos fazer a nós mesmos: quantos anos tenho eu pela frente¿

Uns vivem mais, outros vivem menos, mas quem pode dizer que estará ainda neste mundo, vivo por mais 70 anos¿

Alguns dirão: creio que ainda tenho menos de cinquenta anos.

Outros dirão: acho que não chego a mais vinte anos.

Outros pensarão: acho que nem chego a mais quinze anos.

Outros: dez.

Vamos parar por aí.  Tem muito jovem também morrendo cedo demais….   O que devemos fazer!

Quando alguém começa a espirrar, a assoar o nariz, ou queixar-se de alguma dor, ou algum problema de saúde, V. já ouviu a seguinte expressão:  – “É melhor cuidar da alma, porque o corpo já se foi…  não tem mais jeito”.

Isto certamente se trata de uma brincadeira, mas tem um fundo muito realista, do qual desejamos não falar, para não ficarmos muito pessimistas.

É verdade que temos uma alma e um espírito.  E estes são eternos.   Mas este mundo apela muito forte para o corpo, e para a vida material.

Para que estudamos, para que trabalhamos, para que vamos aos médicos ou dentistas¿

Para que namoramos e nos casamos, não é afinal para termos melhor qualidade de vida, e para vivermos uma vida mais agradável, light e confortável¿   Sim, e acrescento, para termos uma vida também materialmente mais confortável!    Mas veja-se bem, só por mais dez, vinte, trinta, ou, ainda que seja, mais cinquenta anos.   E depois disso, o que virá, Deus sabe!

Hoje estudamos, trabalhamos, vamos aos médicos, dentistas, namoramos, casamo-nos,  procuramos ter algum lazer, a fim de melhorarmos nossa vida sobre a terra.  Quando, porém, tivermos de passar desta para a outra vida, temos de entender que termos de encarar a realidade, seja ela qual for, que virá para V., e para mim também.  Todos, todos, todos.

É hora, portanto, de cada um perguntar a si mesmo o que há de ser de sua vida DEPOIS que esta vida acabar.   Quando será, isto não sabemos.

A verdade é que não gostamos de nos determos pensando nisso.  Parece ser algo  t ao longínquo , que achamos muita precipitação ou falta de melhores opções, ficar pensando nesse tipo de coisa.

A vida cá já nos traz bastante preocupações, que não temos tempo de pensarmos na passagem desta para a outra vida.   E se nesta ingenuidade,  então, vamos nos alienar deste fato tão terrível, que aguarda a cada ser humano neste mundo…  isto não vai dar certo no final!

Mais interessante é notar que para fazer-se seguro de vida, muitos estão prontos, e existem vários grupos de empresas Seguradoras que ganham altas somas de dinheiro, colocando seus produtos ao alcance de muitos e muitos segurados.   Grandes grupos econômicos se estruturaram, fazem pools de empresas, algumas de renome internacional, cujo negócio principal é exclusiva e mormente dedicado a oferecer seguros para vidas.

Outro fato marcante é sabermos que alguns cemitérios que conhecemos fazem sua fortuna, construindo sepulturas, mausoléus, lápides, e coisas do gênero.   Se estes também vendem seus produtos tanto assim, é porque sempre há corpos mortos que precisam ser ali  depositados…  Não há como negar – isto é um fato!

O fato é que a morte é algo contra o que o homem luta há séculos e milênios, mas não consegue dominá-la.   Pessoas enfermas sabem valorizar a vida, mas também sabem que suas deficiências físicas são a prova de que não durarão para sempre.

As pessoas jovens nem sequer pensam na velhice.   Apenas sabem que estão vivas, e que precisam aproveitar o seu tempo para viver mais intensamente felizes.  Espantam-se quando veem que chegaram aos trinta anos, porque o tempo passa tão rápido, que nem percebem o quanto.   Quando passam dos cinquenta anos (quando chegam lá!), alguma pequena luz os informa que a vida está se indo, e que já se viveu, estimadamente, algo mais que a metade de suas existências terrestres.

Então, perto dos sessenta anos, percebe-se que alguns dos nossos amigos, parentes, e conhecidos, já não estão mais conosco, não mais vivem neste mundo.   Aí é que chega o pensamento, cogitando: aonde será que estarão eles, e eu, aonde estarei quando chegar a minha vez…

Materialistas diriam que os mortos estão inertes, ali, sete palmos debaixo da terra… e nada mais!¿!

Contou-nos o Reverendo Richard Wurmbrandt que certa vez, em uma sala de aulas, um professor quis ensinar o materialismo.  Nada mais existiria além da matéria, para ele.  Um aluno o retrucou, pedindo a palavra.   Então o jovem levantou-se, e aplicou um pontapé em sua cadeira.   Todos ficaram espantados com sua atitude, e mais espantados ainda ficaram, quando então aquele jovem chutou a canela do professor!   A seguir, houve uma agitação geral.  O professor, machucado pela pancada, ofendido, tentava se refazer do golpe, que sentiu muito.   Aquele jovem, então explicou: a cadeira não reagiu, porque ela não tem alma, mas o professor… deixou claro, com sua evidente reação, que não é de bom senso admitir-se o materialismo.

O fato mais importante desta lição é que não se pode deixar de entender que alma existe, e desta não se pode dizer que vive apenas aqui, enquanto as pessoas têm em seus corpos a força motriz.   Existem muitos fatos que nos indicam que alma deixa o corpo quando este jaz, e que então há uma incursão desta vida para outra, já despojada do corpo que a comportou por algum tempo.

Houve, entretanto, um lapso de exceção nesta regra, o qual nos chama a atenção, e não poderíamos deixar de mencionar o que ocorreu.

Perto do ano 29 D.C., Jesus, o Cristo, ressuscitou um homem que já estava morto e sepultado havia quatro dias.   O seu corpo já exalava cheiro característico da decomposição.   Já havia entrado em estado de putrefação.

Jesus, não se importando com as circunstâncias, ordenou que tirassem a pedra que lacrava aquela sepultura.   Ordenou, também ao defunto: – “Lázaro, vem para fora!”  E Lázaro levantou-se ressurreto da morte, depois de sepultado, e já havia quatro dias da ocorrência da sua morte.

Este mesmo Jesus, pouco tempo depois, foi morto após ser torturado, maltratado, e humilhado, ferido com lança, e levado à sepultura, ali permanecendo por três dias.  Não havia possibilidade humana de ser Ele reconduzido à vida, mas, contrariando a todas as teorias das probabilidades, foi ressuscitado, e uma vez novamente vivo, manifestou-Se  entre os seus por um período de quarenta dias após sua morte.   Não bastasse isso, quando de sua morte (Leia-se em Mateus 27:52, 53), várias sepulturas se abriram, e alguns mortos, crentes fiéis a Deus, ressurgiram, e foram vistos na cidade, depois da ressurreição do Senhor.

Não há, logo, o que se discutir sobre isto: somente Jesus Cristo tem o poder de controlar e sobrepujar a morte!

Com isto, segue-se uma boa notícia!  Ele prometeu que… “quem crê em Mim, ainda que esteja morto, reviverá”.  (João 11:25)    E mais ainda:  “”… e todo aquele que vive e crê em Mim, nunca morrerá.” (11:26)

Examinando-se outras palavras de Cristo, vemos que Ele um dia falou também:

“Eu sou o caminho, a verdade e a vida.   Ninguém vem ao Pai senão por Mim.” (João 14:6)

Muitos foram as palavras de Cristo registradas na Bíblia.  Outras coisas Ele falou:

“Se alguém não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus” (João 3:3)

“Arrependei-vos, porque é chegado a vós o Reino de Deus” (Mateus 4:17)

“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira, que deu o Seu Filho Unigênito para que todo aquele que nEle crer, não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16)

                E o apóstolo Paulo em Romanos 10:5 diz-nos que “todo o que invocar o nome do Senhor será salvo”.

O fato é que necessitamos de sermos salvos da morta eterna, precisamos e a única porta que se nos apresenta como verdadeira, legítima, aprovada por Deus é Jesus!

Oremos pois a Ele, que tem a vida eterna para nos dar, que começa aqui e nunca termina, mas continua para sempre no Seu Reino dos Céus.


0 comments »

Disculpa, debes iniciar sesión para escribir un comentario.

Comentarios recientes

    Fatos da História

    Evangelho