Estou Riquíssimo!

0

junio 4, 2013 by Bortolato

Ganhei um prêmio mais valioso do que o maior já dado em loterias deste mundo!   Fui premiado!  Estou riquíssimo!  Dizer que estou rico é pouco!  Meu coração está saltando de alegria por isso!  Que coisa mais feliz!   Achei o maior diamante deste mundo.  Onde?

E estava ali, bem debaixo de meu nariz!  Como não pude perceber isso antes? Mas sim, o que importa agora é que o achei!

Como? certamente alguém pode indagar!   Qual o porquê de tanta exultação?  O que se passa?  Que loucura é essa?

Vou tentar explicar desde o início, para que todos possam entender.

Diria que podemos começar, lendo a passagem bíblica que escreveu o evangelista S. Lucas no seu evangelho, capítulo primeiro, verso 35 – é o conteúdo da profecia que o anjo Gabriel deixou a Maria:

“Descerá sobe ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a Sua sombra; pelo que também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado  Filho de Deus”.

Pois bem, quando um casal se une na carne, ambos, homem e mulher, transmitem as suas características pessoais, fundindo ambos os seus cromossomos e gens para formar-se um novo ser, uma nova pessoa.  E esta nova criatura, recebe em parte a herança genética de seu pai de um lado, e de outra parte, de sua mãe, que o concebe em seu ventre.  É um novo ser humano que está sendo criado, à imagem e semelhança de seus pais.

Pois quando Jesus Cristo foi concebido no ventre de Maria, ele não o foi pela união de sua mãe com nenhum homem.   Maria disse então ao anjo Gabriel:

“Como se fará isto, visto que não conheço varão?”  (Lucas 1:34)

Eis aí um segredo, para quem não o sabia: Jesus recebeu a herança genética de Maria e… do Espírito Santo!

Isto significa que Jesus, o único da nossa raça, exclusivamente e tão somente Ele, recebeu simultaneamente o DNA humano e o divino, que se uniram ambos em Sua pessoa.

O que acontece, meus prezados, quando duas espécies se cruzam, tanto no reino humano quanto no animal?  Não nascerá um ser igual, exatamente tal e qual nenhum dos seus progenitores.   Virá uma outra criatura à luz, diferente, apenas com algumas características de ambos, num mix indivisível, ou então não se gerará criatura alguma, por incompatibilidade genética.

Quando porém, é concebida a nova criatura, esta é diferente de seu par de geradores, em vários pormenores.

Vamos nos reportar á comparação da mistura das raças humanas.   O que ocorre quando um casal proveniente de raças diversas geram uma criança?  Ela tem os traços fisionômicos divididos entre os do pai e os de sua mãe.   Por exemplo, o mulato é o resultado da miscigenação entre o negro e o branco.  Logo, conclui-se que seus descendentes diretos terão daí então os gens da raça negra misturados com os da raça branca, mas ele não será puramente negro e nem puramente branco.

No caso de Jesus, Ele recebeu, quando de Sua encarnação, os gens humanos de Maria, de um lado; e do outro, diremos da nossa forma imperfeita de entendermos a natureza divina, que Ele recebeu os gens, os cromossomos, o DNA divino, que o Espírito Santo lhe trouxe.

Quando, porém, se nota a aparência de filhos gerados dentro de uma família, vemos que uma criança poderá assemelhar-se mais com o seu pai ou, dependendo do caso, com a sua mãe.   Vai depender da força, da prevalência dos gens de um ou do outro progenitor.

No caso de Jesus, qual a maior força para prevalecer – a humana ou a de Deus? É claro que prevaleceu a de Deus, e assim, Jesus encarnado foi mais parecido com o Pai Celeste do que com Maria, pois o DNA que o Espírito Santo lhe trouxe era muito forte.

Por isso concluímos: o sangue de Jesus é, com toda certeza, aquele sangue especial, divino, poderoso, sem pecado, eficaz para sanar todo o mal.

Precisamos crer nisto porque a fé é o nosso elemento humano que depende de abrirmos os nossos corações.  Sem fé é impossível agradarmos a Deus.  O Espírito Santo nos convence do pecado, da justiça e do juízo, mas cabe a cada um de nós abrir o coração e não usar a mente, raciocínios, a lógica humana tão limitada, para rejeitarmos esta obra tão maravilhosa que Deus fez, para que haja perdão para os nossos pecados.

Este perdão é tão poderoso que lavou os meus pecados, os do rei Davi, que tinha crimes de sangue em suas mãos, perdoou a Pedro, que negou a Jesus, a Saulo de Tarso, que foi coparticipante da morte de Estêvão, e tem o poder de perdoar a cada um de nós, hoje,  aonde estivermos… devido ao poder do sangue divino de Jesus!   Ele disse aos Seus discípulos:

“Todo poder me é dado no céu e na terra”. (Mateus 28:18)

Eu sinto que necessito e muito do poder que há no santo sangue do Senhor Jesus!  É o meu passaporte para minha entrada no Reino de Deus.  Todos precisam!   Muitos não o reconhecem, mas escreveu o apóstolo S. João:

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.   Ele estava no princípio com Deus.  Todas as coisas foram feitas por intermédio dEle, e, sem Ele, nada do que foi feito se fez.  A vida estava nEle e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece sobre as trevas e as trevas não prevaleceram contra ela…

… a todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber: os que creem em Seu Nome.”   (João 1:1 – 12)

Se Jesus tinha o DNA de Deus, logo, o Seu sangue não era como o nosso sangue humano.   Seu sangue tinha o elemento divino.

Sua saliva não era saliva comum.  Ele cuspia no chão para fazer  lodo, e aquele lodo nos olhos de um cego lhe deu o poder de ver.  Aliás, Ele fazia cegos verem, até mesmo a um cego de nascença.

Não era só isso.   O simples toque de suas mãos pegava um pedaço de orelha de um servo do sumo sacerdote, que havia sido cortada, e a colocava sã, no seu lugar, sem assepsia, sem agulhas e nem linha, e a curava.

Partia cinco pães e dois peixinhos, e alimentava a uma multidão de cinco mil pessoas.

E a Sua Palavra? Bastava dizer simplesmente “SIM”, ou “EU QUERO”, e cegos e leprosos eram curados.

Ressuscitar mortos não lhe era nenhum problema, bastava Ele o querer.

Sem dúvida alguma, Jesus é divino, como nenhum outro homem jamais o será.

Então, o que dizer do seu sangue?  Seu sangue é divino, não se trata simplesmente de um sangue humano.  O sangue humano é cheio de impurezas, mas o sangue de Jesus não é assim.   É um sangue sem impurezas materiais e sem pecado, sem impurezas espirituais.  Quais a suas prerrogativas, então?  Quais as suas características principais?  Que poder se desprende dele?

Notem!  O sangue de Jesus não é humano, é o sangue do Filho de Deus!  Puro, perfeito, sem mácula, sem doenças, sem pecado, mas cheio de poder!  Se o nosso sangue humano representa as nossas vidas, que dirá o sangue de Jesus?  Se sem sangue morremos, com o sangue vivemos, porque o sangue representa a vida, muito mais vida representa o sangue de Jesus!

Este sangue divino tem um poder exclusivo, único no mundo, de purificar a um pecador.  Não só a um, mas a milhares, milhões, bilhões, quantos necessitem de ser purificados e recorrerem a Ele, pedindo por Sua misericórdia.

Antes de entender isto, eu pensava: como é que uma só gota do sangue de Jesus pode purificar e lavar a trilhões de pecados?   Isso não parece ter lógica.  Pois bem, a lógica está na natureza divina do sangue de Jesus!   É o único capaz de fazer isso – assim como Deus é o Único Todo Poderoso, capaz de criar este mundo e de fazer grandes obras e maravilhas sobre a terra.

O poder do sangue de Jesus, no entanto, não é limitado ao seu número de gotas, nem á sua forma líquida.   Ele tem um poder infinito, que se desdobra, vez após vez, salvando, curando e libertando vidas e mais vidas ao redor do mundo.

Disse Jesus na noite em que foi traído:

“Tomai, bebei dele (era do vinho que ele falava) todos.  Isto é meu sangue, que é derramado por vós.”

Jesus, no seu poder infinito, sobrenatural, incomparável, estava naquela hora transferindo o poder de Seu sangue para aqueles cálices.  E Ele disse: “Fazei isto em memória de mim, todas as vezes em que vos reunirdes em meu Nome.”

Ele não quis dizer que o vinho se transformou quimicamente em sangue, mas que o poder do Seu santo sangue se depositou naquele vinho compartilhado.

E quando Ele diz para fazermos isto em memória dEle, quando nos reunimos em Seu Nome, se renova o Seu poder mais uma vez, e a cada vez que ingerimos o vinho da Sua Santa Ceia, símbolo que, pela Sua Palavra, tornou-se poderoso como o Seu sangue, para veicular a purificação dos pecados, e nos lavar de toda culpa, nos guardar do mal, nos separar de toda iniquidade, à medida que nossas memórias renovam o ato da comunhão com Ele através desse vinho.   Assim, o vinho da Santa Ceia se nos mostra como um veículo mnemônico para nos lembrar, aos nossos espíritos,  qual  o poder que há no sangue de Jesus.  Para que nunca nos esqueçamos que o nosso perdão nos foi dado através do Seu santo sangue!

Basta uma milionésima parte do vapor etéreo que se desprende do sangue de Jesus para que o mais desprezível pecador seja purificado e ser salvo por toda a eternidade.

Há poder no sangue de Jesus, poder divino, do Todo Poderoso Deus!  É preciosíssimo, este sangue!  E Jesus nos deu Seu sangue para nos resgatar deste mundo de pecados!

Os meus pecados foram por esse sangue lavados, fui purificado, de modo que não temo mais o juízo final!  Todos os meus pecados, já pensou? Sem restar nenhum deles para contar a sua história, a gênese de minhas transgressões!   Não temo mais nenhum julgamento deste mundo, pois o meu justo Juiz já me absolveu dos meus pecados.  Como não deveria ficar feliz ao extremo?   Tenho muitos motivos para ficar muito feliz.

 

Convido a V., para fazer essa valiosa descoberta, aproximando-se do Senhor Jesus.  Diga a Ele que V. precisa muito ser resgatado pelo poder do Seu santo sangue!

Pois podemos também ser curados pelo Seu poder!  Física, emocional e espiritualmente!

Fiquei felicíssimo ao encontrar este rico tesouro!  Procure-O e encontre o mesmo V. também!  Vale a pena!


0 comments »

Disculpa, debes iniciar sesión para escribir un comentario.

Comentarios recientes

    Fatos da História

    Evangelho